Conteúdo
Repórter:
Publicação: 30/05/2018 19h25
Atualização: 04/06/2018 02h10

Rival do Bruscão no primeiro mata-mata da Série D 2018, o Tubarão surge como favorito ao confronto eliminatório da competição e tem dado calafrios nos torcedores do Brusque nos últimos dois anos. A equipe brusquense não sabe o que é vencer o rival há sete jogos e vai desafiar, além do favoritismo, a escrita das últimas partidas.

Longo jejum
As equipes têm um longa história de jogos, mas recentemente é o Tubarão que tem levado a melhor. A última vez em que o Brusque venceu foi na estreia da segunda passagem do técnico Pingo pelo time. A partida ocorreu na quarta rodada do Campeonato Catarinense de 2017, ainda durante a primeira fase da competição. O jogo disputado em 8 de fevereiro teve vitória do Brusque por 1 a 0. O gol foi de Jonatas Belusso, o primeiro do atleta com a camisa do clube. Posteriormente, ele terminaria como artilheiro e grande nome da equipe que acabou na quarta colocação do campeonato estadual.

Após a vitória em casa, os times se enfrentaram outras sete vezes com direito a uma decisão de título, em 2017. No período, foram quatro vitórias do Tubarão e três empates. Ainda em 2017, as equipes voltaram a jogar, desta vez pelo returno da competição. O duelo ocorreu no estádio Domingos Gonzales. O Brusque acabou derrotado por 3 a 2 em uma partida bem mais agitada que a anterior. Os gols do Tubarão foram anotados por Rentería, Gerson e Rafael Ratão, enquanto o Brusque diminuiu com Leílson e Jonatas Belusso. Além dos gols, o jogo foi quente e contou com uma quantidade generosa de cartões, três amarelos e um vermelho, para Leílson, do Brusque.

Goleada e derrota na Copinha
Os times voltaram a se enfrentar pela Copa Santa Catarina, já no segundo semestre. Foram quatro jogos e nenhuma vitória do Brusque, com direito a uma goleada contundente no primeiro duelo da série. Um 3 a 0 no estádio Domingos Gonzales, em jogo em que o clube teve outro atleta expulso, desta vez o volante Eurico. A derrota também foi a gota d'água para demissão do técnico Jerson Testoni, o Jersinho, que ganhava a oportunidade que dirigir a equipe profissional pela primeira vez após a saída de Pingo, logo depois do encerramento da fase de grupos da Série D.

Após a humilhante derrota fora de casa, o Brusque apostou no técnico gaúcho Antonio Picoli para dar a volta por cima. Àquela altura, o time era o lanterna da Copa SC, que tinha ainda, além de Brusque e Tubarão, a participação de Joinville e Inter de Lages. Picoli até foi bem, mas também não conseguiu fazer com que o time rendesse mais diante do adversário do Sul do estado. Ele teve o rival pela frente logo em sua primeira partida, na estreia do returno da competição. O empate em 2 a 2 manteve o jejum contra o rival.

Posteriormente, vitórias do Brusque sobre o Inter de Lages e contra o time juniores do Joinville colocaram a equipe na final da Copinha, e o Tubarão novamente pelo caminho. Outra vez, o time não se encontrou e acabou derrotado por 2 a 1, de virada, em pleno estádio Augusto Bauer. A partida novamente foi quente, mais uma vez com expulsão de jogador do Brusque. O zagueiro Maurício, improvisado na lateral, foi expulso aos 41 minutos da etapa final, e o volante Eurico precisou ser improvisado no setor. Para infelicidade do clube, e do jogador, o atleta foi cortar uma bola já aos 48 minutos do segundo tempo e, no apagar das luzes, mandou contra o próprio patrimônio para selar mais uma vitória do Peixe: 2 a 1.

No segundo e decisivo confronto, o Brusque sabia que tinha uma difícil missão pela frente, que se complicou ainda mais logo no primeiro minuto de partida, quando Índio abriu o placar do segundo jogo da final e aumentou a vantagem do Tubarão (1 a 0 na partida e 3 a 1 no agregado). Na etapa final, o time até chegou ao empate com Aldair, mas não teve forças para reagir e viu o rival comemorar o título e a vaga na Copa do Brasil.

2018
O drama brusquense diante do Tubarão ainda teve dois capítulos este ano e, novamente, não houve final feliz. Apesar de um bom resultado fora de casa: 0 a 0, em jogo válido pela sexta rodada do returno, o time novamente foi superado pelo rival em casa. Iél, Matheus Barbosa e David Batista marcaram para o Tubarão na vitória por 3 a 2 no Gigantinho. Safira e Jefferson Renan descontaram para o Brusque. Esses dois últimos ainda estão na equipe que domingo (3), em casa, a partir das 16h, tenta encerrar o longo jejum contra o adversário.

Longo jejum - Veja como foram as últimas 7 partidas do Brusque diante do Tubarão

7 jogos
4 vitórias do Tubarão
3 empates
0 vitórias do Brusque

14 gols marcados pelo Tubarão 
8 gols marcados pelo Brusque

As partidas

Tubarão 3x2 Brusque (returno do Campeonato Catarinense 2017)
Tubarão 3x0 Brusque (Primeiro turno da Copa SC 2017)
Brusque 2x2 Tubarão (Segundo turno da Copa SC 2017)
Brusque 1x2 Tubarão (Primeiro jogo da final da Copa SC 2017)
Tubarão 1x1 Brusque (Segundo jogo da final da Copa SC 2017)
Tubarão 0x0 Brusque (Primeiro turno do Campeonato Catarinense 2018)
Brusque 2x3 Tubarão (Segundo turno do Campeonato Catarinense 2018)