Conteúdo
Repórter: Redação
Publicação: 07/08/2020 16h03
Atualização: 20h06

Depois de vitórias e grandes feitos em todas as etapas das categorias de base, o ciclista brusquense André Eduardo Gohr ratificou seu nome na história do ciclismo brasileiro em junho do ano passado, quando foi campeão nacional da prova de Contrarrelógio Individual, na categoria Elite, a principal da modalidade.

Foi um sonho alcançando pelo atleta que desde cedo já despontava no cenário nacional, sempre colocando Brusque em evidência no pódio da modalidade. O agora número 1 do Brasil no CRI passou a ser referência da modalidade e hoje sonha com voos ainda mais altos.

Gohr está de olho nas Olimpíadas de Paris, em 2024 e, mesmo em meio à pandemia, vem treinando forte para isso. “Embora não tenhamos competições, sigo treinando para me aprimorar o máximo possível para quando os eventos voltarem”, diz.

Prestes a completar 24 anos, há seis Gohr é um dos atletas apoiados pela Prefeitura de Brusque, por meio do programa Bolsa-Atleta. Representando a cidade, o campeão brasileiro já foi tricampeão dos Jogos Abertos de Santa Catarina, modalidade em que a cidade é referência. “Esse apoio sempre é muito importante para nós atletas, pois é o que nos permite focar nos treinos e nos desenvolvermos no esporte. Brusque tem muitos talentos, e é uma forma de valorizarmos todo esse potencial que existe na cidade, não somente no ciclismo, mas também em outras modalidades”, comenta Gohr. 

Hoje, além dele, outros 81 atletas recebem a Bolsa-Atleta, segundo o superintendente da FME, Edson Garcia. Ele comenta que esse benefício é fundamental para os atletas terem bons resultados e uma chance de seguirem carreira. “É um suporte que dá maiores condições de treino e, consequentemente, possibilita que o atleta possa desenvolver a modalidade que representa, naturalmente representando Brusque melhor, com resultados positivos”, defende. “Além disso, casos como o do André se tornam espelho para novas gerações, pois fica um legado e uma referência para esses atletas que estão iniciando”, complementa.

Sobre o projeto Paris 2024

Com Paris em mente, André Eduardo Gohr destaca o orgulho de poder representar Brusque e estar tão perto de um sonho de criança. Ele ressalta que a cidade tem um histórico de presença na principal modalidade do planeta. “Os Jogos Olímpicos sempre foram um sonho de criança. Por muitas vezes, o Brasil esteve representando na competição por um brusquense e isso me faz querer muito chegar lá. Espero que, além dos apoiadores que tenho hoje, outras empresas e a iniciativa privada possam me ajudar e viver esse sonho comigo”, diz ele, que tem treinado forte para esse objetivo.

“Em 2019 alcancei muitos resultados de expressão, principalmente o Brasileiro, mas, além dele, vários resultados que me deram confiança para poder acreditar nesse sonho que parecia tão longe. Infelizmente, para 2020, o ciclismo brasileiro não conseguiu vaga, mas isso me motivou ainda mais. Mesmo com a pandemia, estou focado e treinando muito, talvez nunca tenha treinado tanto, mas estou com excelentes números e resultados nos treinos, já se preparando para 2021, com todos os objetivos traçados até 2024”, finaliza.


André Gohr tem apoio da Força Área Brasileira, equipe de ciclismo de Ribeirão Preto, Dux Nutrition, Go Treinos e Prefeitura de Brusque.



Redação

E-mail para contato contato2009290307578942@2009290307578113esportesc.com.