Conteúdo
Repórter: Sidney Silva
Publicação: 10/06/2018 18h53
Atualização: 20h35

Em um jogo emocionante do início ao fim, o Brusque acabou eliminado pelo Tubarão no primeiro mata-mata da Série D. Os times fizeram uma grande partida, que acabou em 2 a 1 para o adversário ao longo dos 90 minutos. O resultado levou o confronto para os pênaltis, já que no primeiro jogo o Bruscão havia vencido por 1 a 0. Foi aí que a estrela de Beliatto brilhou. O arqueiro defendeu duas cobranças e classificou a equipe do Sul do estado, que agora encara o São José na próxima fase.

O jogo  

Estádio cheio e clima de final. O estádio Domingos Gonzales recebeu grande público para um jogão de bola neste domingo. Mais de 2,7 mil pessoas compareceram ao estádio para acompanhar a partida que teve muita emoção. O lado do Peixe estava lotado, assim como o do Bruscão. A torcida chegou em cima da hora, mas rapidamente tomou o seu espaço e fez uma linda festa no Gigantinho. Foram quatro ônibus que saíram de Brusque, um quinto ainda foi fretado por familiares do goleiro Júlio Cézar.

Em campo, o jogo começou com tudo. Zé Mateus aos 6 minutos obrigou Beliatto a fazer grande defesa. Mas mal a torcida do Brusque havia entrado ao estádio viu Magno Alves, em bola desviada, fazer 1 a 0, resultado que fez ruir a vantagem do Brusque: 1 a 0 Tubarão e 1 a 1 no agregado.

O gol deixou o jogo ainda mais aberto, o Brusque não se intimidou e foi pra cima, enquanto o Tubarão também assustava. Tiago Pará, em contragolpe, e Eliomar, em chute de longe, levaram perigo ao Tubarão. Jailson também quase mandou contra o próprio patrimônio. O Brusque estava bem na partida, e aos 30 empatou após escanteio de Tiago Pará que terminou no gol de cabeça de Yago: 1 a 1. Ainda antes do fim do primeiro tempo, Pio perdeu um gol livre, e Júlio Cézar fez milagre em finalização à queima-roupa e evitou o segundo gol dos donos da casa.

Etapa final  


No segundo tempo, o jogo começou como terminou a etapa inicial. Os dois times criavam chances, mas era o Brusque que tinha mais o controle do jogo. A primeira grande oportunidade, no entanto, foi do Tubarão. Magno Alves perdeu boa chance de cabeça. O Brusque também teve boa chegada com Hélio Paraíba em bola rebatida na área, mas Beliatto salvou. Eliomar tentou de cavadinha, mas perdeu chance incrível de colocar o Brusque na frente.

Pouco depois, Paraíba, desgastado, saiu para a entrada de Weverton, o Tubarão também fez mudanças e cresceu. Depois de trocar Branquinho por Gelson no intervalo, Waguinho Dias colocou Éverton Junior, que com pouco mais de dois minutos em campo invadiu a área, em bola nas costas da zaga, e fez o segundo do Peixe: 2 a 1 Tubarão.

Com o duelo indo para os pênaltis, as emoções foram a flor da pele no Domingos Gonzales. Os dois times continuaram em busca do gol. Safira entrou no lugar de Adãozinho, e Jean Dias, já no fim, na vaga de Tiago Pará. Mas a decisão foi mesmo para os pênaltis.

Nas cobranças, o Tubarão foi mais eficiente e comemorou a classificação. Beliatto defendeu a terceira cobrança, a de Eliomar, no canto direito. A essa altura, Jean Dias e Safira já haviam anotado, mas o Tubarão tinha 100% de aproveitamento com Nicolas Farias, Everton Junior e Gelson: 3 a 2 com cada time tendo efetuado três cobranças. Nas duas últimas, Guilherme Amorim ainda parou no goleiro Júlio Cézar, do Brusque, que empatou o placar em 3 a 3 com Hyago. Mas na última cobrança, Magno Alves foi para as redes, enquanto Weverton chutou no meio, em cima de Beliatto, e permitiu a classificação do Tubarão à próxima fase: 4 a 3.

Fotos: Sidney Silva/Esporte SC



Sidney Silva

E-mail para contato redacao2002290454406587@2002290454405758esportesc.com.