Conteúdo
Repórter:
Publicação: 08/04/2016 22h01
Atualização: 09/04/2016 01h32

Jogo após jogo, o Bruscão mostra a razão de segurar a lanterna na classificação de visitantes do Campeonato Catarinense. Foi assim no empate por 3 a 3 com a Chapecoense, após abrir 3 a 0, e também em tropeços contra Camboriú e Metropolitano, em pelejas que pareciam ganhas.

GALERIA
> Confira as imagens da partida

Nesta sexta-feira (8), contra o pior mandante e, acima de tudo, o pior time do torneio e favorito ao rebaixamento, o Guarani, o Brusque abriu 2 a 0. Porém, voltando a apresentar os problemas defensivos que teimam em aparecer, principalmente nas partidas longe do Augusto Bauer, o quadricolor sofreu quatro gols e saiu com um 4 a 2 contra de Palhoça.

Com o resultado, o Brusque segue na quarta colocação na classificação geral, mas pode até cair para sexto, dependendo da combinação de resultados no final da rodada. A classificação para a Série D foi adiada, mas é quase certa. Já a vaga na Copa do Brasil está ameaçada. Em confronto direto para chegar ao principal mata-mata do país, o Bruscão recebe o Inter de Lages na próxima partida, domingo (17).

Veja como ficou a classificação do Campeonato Catarinense 

O jogo
Logo aos 8 minutos, a bola tocou na mão de Kaique e o árbitro Sandro Meira Ricci marcou pênalti para o quadricolor. Assis cobrou alto, no canto, e fez 1 a 0 para o Bruscão. A partir daí, o Guarani ficou mais no campo de ataque e tentou a reação, mas pouco ou nada criava.

Só aos 20 minutos veio a primeira finalização com algum perigo. Cruzamento na área e Hélio Paraíba cabeceou pra fora. Cinco minutos depois. foi a vez de Cecel tentar de fora da área, mas mandar longe do gol. Aos 27, Hélio Paraíba meteu uma linda bicicleta que levou certo perigo à meta de João Paulo. No lance seguinte, a resposta do Bruscão foi contundente. Carlos Alberto chapelou o adversário e tocou na área, a bola chegou até Assis que bateu pra fora, perto do gol.

O técnico do Guarani, Sérgio Ramirez, tratou de mexer no time ainda na primeira etapa, mesmo sem contusão. Marquinhos entrou no lugar de Ernesto. Aos 40 minutos, escanteio foi cobrado rasteiro na área e Maurício bateu com muito perigo, mas a defesa desviou. O Bugre tentava pressionar e, com 43, o Bruscão encaixou contra-ataque perfeito. Linda jogada de Assis que achou Paulinho, o meia tocou para Eliomar que só rolou para fazer 2 a 0 e dar uma aparente tranquilidade.

Porém, foi só aparência mesmo. No último lance antes do intervalo, um velho problema do quadricolor voltou a incomodar, a bola aérea. Capa cobrou falta na área e Vagno subiu livre para cabecear e diminuir. Final do primeiro tempo: 2 a 1 para o Brusque.

Etapa Final
Perdendo e desesperado na luta contra o rebaixamento, o Guarani começou o segundo tempo em cima. Com 4 minutos, Adriel já meteu uma pancada para o gol, mas a bola não atingiu à meta. Aos 9, Alemão recebeu cartão amarelo. No lance seguinte, a primeira defesa difícil de João Paulo na etapa final. Willyan meteu um belo chute e o arqueiro brusquense foi bem demais.

Aos 11 minutos, Paulinho recebeu a bola em contra-ataque e Assis pedia a bola livre, o jogador preferiu arriscar de longe. A finalização não foi boa. No lance seguinte, Ruan tomou cartão amarelo por falta em Cecel. O Bugre seguia melhor em campo, embora sem muita organização, mas, de vez em quando, o Bruscão também assustava. Aos 20 minutos, Cleyton botou a bola na área e Eliomar subiu na pequena área e cabeceou pra fora. Grande oportunidade desperdiçada.

Aos 25 minutos, o Brusque teve mais uma grande chance, mas Carlos Alberto bateu mal, longe do gol. O quadricolor pagou caro por mais um erro. No lance seguinte, Assis ficou reclamando de falta na saída de bola, o Guarani recuperou a bola que chegou em Marquinhos. O jogador driblou dois marcadores e meteu da meia lua, no ângulo de João Paulo, que nada pôde fazer: Guarani 2x2 Brusque.

Após o empate, Mauro Ovelha botou o time pra cima. O técnico tirou o volante Carlos Alberto e colocou o atacante Eydison. Com 33 minutos, Ruan bateu muito mal, pra fora. Um minuto depois, quem mexeu foi o Guarani: a mudança que mudou a história do jogo. Naldinho entrou no lugar de Cecel.

Praticamente no lance seguinte, Naldinho fez o gol, 3 a 2 e mais uma vez o Brusque deixando pontos pelo caminho fora de casa depois de abrir grande vantagem. No desespero, Mauro Ovelha colocou outro atacante: Giancarlo no lugar de Ruan, mas já era tarde. Hélio Paraíba perdeu um gol mais que feito para matar o jogo. Sem problemas. Na jogada posterior, bola atrasada para João Paulo que não saiu do gol. Capa chegou antes para marcar o gol que selou o caixão brusquense: 4 a 2.

FICHA TÉCNICA

GUARANI (4)
Thiago Rodrigues, Kaique, Willyan, Vagno, Capa, Jackson, Adriel, Alex Maranhão (Luiz Henrique), Cecel (Naldinho), Ernesto (Marquinhos) e Hélio Paraíba. Técnico: Sérgio Ramirez

BRUSQUE (2)
João Paulo, Alemão, Cleyton, Mauricio, Adãozinho; Mineiro, Ruan (Giancarlo), Carlos Alberto (Eydison), Eliomar, Assis e Paulinho. Técnico: Mauro Ovelha

Gols: Assis (B), aos 9 minutos do primeiro tempo. Eliomar (B), aos 43 da primeira etapa. Vagno (G), com 46 do primeiro tempo. Marquinhos (G), aos 26 da etapa final. Naldinho (G), com 37 minutos do segundo tempo. Capa (G), aos 41 da etapa final.

Cartões Amarelos: Willyan (G), Alemão (B), Ruan (B), Eliomar (B),

Arbitragem: Sandro Meira Ricci auxiliado por Carlos Berkenbrock e Eli Alves

Local: Estádio Renato Silveira, em Palhoça