Conteúdo
Repórter: Sidney Silva
Publicação: 23/06/2020 17h28
Atualização: 17h48

Somente nos últimos 3 anos, o Brusque FC já pagou quase R$ 800 mil de dívidas trabalhistas. Os valores foram obtidos com exclusividade por EsporteSC e mostram como o clube tem se organizado para dar fim a um passivo que parece não ter fim.

Desde que reestruturou o departamento jurídico, em 2017, o Brusque buscou acordos na justiça para que a dívida com atletas e ex-funcionários não continuassem a seguir como uma bola de neve, um fundo sem fim. Até então, o valor já pago referente as dívidas trabalhistas chegam a R$ 763 mil. Uma média de mais de R$ 250 mil ao ano.

Mas se engana quem pensa que a dívida para por aí. Esse valor representa apenas pouco mais de 28% do valor devido pelo clube. Nos próximos cinco anos, o Bruscão ainda terá que pagar quase R$ 2 milhões na justiça. O valor exato é de R$ 1.920.632,41.

Cenário sob controle
O diretor financeiro do Brusque, Rogério Lana, além do diretor jurídico, Luis Fernando Pamplona Novaes, ressaltam que o valor é expressivo porque somam todas as dívidas contraídas durante a existência do clube, desde a sua fundação em 1987. Eles ainda destacam que todo o valor pendente está parcelado, sob total controle do Brusque, que vem cumprindo rigorosamente acordos feitos na justiça desde 2017. “É importante ressaltar que o quadricolor já pagou o valor aproximado de R$ 360 mil no ato trabalhista do TRT4 e R$ 403 mil no ato em trâmite na cidade de Brusque, totalizando o valor citando anteriormente”, observam. “A atual gestão está cumprindo religiosamente com tudo o que foi pré-estabelecido com a justiça e tentando, também, resolver essa situação que vem de muitos e muitos anos acumulada”, comenta Lana.

Mensalmente, o Brusque gasta cerca de R$ 30 mil de suas receitas para cumprir esses acordos.



Sidney Silva

E-mail para contato redacao2007052004509320@2007052004508491esportesc.com.