Conteúdo
Repórter: Redação
Publicação: 19/04/2018 13h56
Atualização: 15h38

A cidade de Florianópolis sediará no próximo domingo (22) o Ironman 70.3. A competição abre o calendário do Ironman 2018 e reúne nada menos que 1200 atletas de 21 países. Entre os competidores, 9 brusquenses vão representar a cidade no evento.

Eles terão o desafio de superar 1,9 quilômetros de natação, 90 de ciclismo e 21,1 de corrida. A largada e chegada será na Praia dos Ingleses.

Grupo tem novidades e mais experientes

Alguns competidores já são atletas veteranos da Atribrusque/Extreme Academia, como Paulo Ricardo Soares, da categoria 55 a 59 anos, um dos mais experientes do grupo. “Essa já é a sétima ou oitava prova dessa magnitude que vou fazer, então não há novidade. Meu objetivo é fazer as coisas certas para não se atrapalhar muito e perder tempo desnecessário”, comenta ele, que objetiva uma vaga entre os cinco melhores da categoria.

Outro que vai forte para a disputa é Cid Rickert Bauer, que compete na categoria 45 a 49 anos. Apesar da experiência, Bauer realizou o último Meio Ironman há cinco anos, por isso, tem grande expectativa para o desempenho na prova da capital. “O meu principal objetivo é terminar bem. É uma categoria difícil, num percurso novo. Mas vou trabalhar para completar o percurso entre 5h30 a 6 horas”, diz.

Na categoria 35 a 39 anos, uma das principais esperanças da Atribrusque está no desempenho de Cleber Soares. O brusquense que compete no Meio Ironman também quer usar a disputa como uma preparação para o Mundial que será realizado no dia 27 de maio, também em Florianópolis. “Quero usar o 70.3 como uma preparação para o Ironman Brasil. Cada prova é diferente, mas me preparei muito bem para ter um bom desempenho. É uma prova rápida e vou buscar melhorar meu tempo”, diz ele.

Na mesma categoria de Soares, a 35 a 39 anos, Rafael Bertolini fará o desafio pela primeira vez e ouve atento os conselhos dos mais experientes. “Será um grande desafio. É uma categoria forte e que tem muitos atletas, a maioria deles experientes. Mas tenho confiança em fazer uma boa prova”, destaca.


Preparação intensa

Segundo o triatleta e um dos dirigentes da Atribrusque, Felipe Eilert dos Santos, os atletas começaram a se preparar para a competição ainda em janeiro. Depois foram quatro meses com treinos específicos focados na prova. A 15 dias do evento, os atletas atingiram o pico máximo de preparação. “Nas duas últimas semanas a gente vem desacelerando e fazendo o que chamamos de refino para estarmos em plenas condições no domingo”, explica Eilert, que compete na categoria 45 a 49 anos. “Sou um daqueles que já tem um pouco de experiência, já é meu quinto Meio Ironman. Mas a expectativa sempre é terminar bem. É claro que pegar o pódio, classificação e a vaga para o Mundial sempre estão como metas. Mas estou em plenas condições e vamos 100% para o domingo”, destaca ele, que já tem no currículo grandes experiências, como a disputa do Mundial de Ironman em Kona, no Havaí.

Segundo Eilert, o Ironman 70.3 também será mais uma oportunidade para os atletas homenagearem Everaldo Batista, o Xineca, presidente da entidade que faleceu no último dia 3 vítima de um acidente automobilístico. "A Atribrusque era uma realização na vida do Xineca. Ele merece todas as homenagens, pois sempre esteve muito focado em fazer o melhor pelos associados e pelo triatlo em Brusque".

Mulheres despontam

O Ironman 70.3 terá 191 mulheres, entre elas três brusquenses vão encarar o desafio pela primeira vez. Ana Maria Huber, Graziela Tomasi Bertolini e Maiara Machado vem se superando a cada prova e colocando a cidade em evidência na modalidade.

Ana iniciou no triatlo há dois anos e, após algumas provas curtas, vive grande expectativa para a prova que será realizada no domingo. “Em fevereiro fiz um triatlo de distância olímpica e agora farei uma prova com o dobro da distância. Mas me preparei bem e estou calma. A expectativa é terminar a prova. Não tenho metas quanto a tempo. Porém me sinto bem preparada, principalmente na natação e corrida”, observa Ana, que vai competir na categoria para atletas de 35 a 39 anos.

Na mesma categoria, Graziela também chega à disputa respaldada pela participação em dois triatlos olímpicos, com objetivo semelhante ao da companheira. “Também não tenho meta de tempo, por ser meu primeiro, mas meu objetivo é terminar sem quebrar, sem um desgaste muito grande, porque treinamos para isso”, destaca.

Terceira integrante do time feminino da Atribrusque, Maiara Machado diz que, apesar de as atletas participarem pela primeira vez de uma prova com essa magnitude, todas carregam, além da ansiedade, muita responsabilidade. “Todas iniciamos recente no triatlo. Eu fiz meu primeiro em setembro. Então realmente é um desafio grande, pois é uma distância bem maior do que estamos acostumadas, mas estamos desde janeiro treinado para essa prova e queremos fazer um grande competição”, comenta ela. “O fato de sermos as únicas atletas da cidade faz com que a gente carregue muita responsabilidade. Mas queremos principalmente servir de incentivo para que outras mulheres também venham fazer triatlo e vejam que não é nenhum bicho de sete cabeças”, finaliza.


Veja quem são os atletas que vão representar a Atribrusque no Iron 70.3


Masculino
André Montibeller - Categoria 30 a 34 anos
Cid Rickert Bauer – 45 a 49 anos
Cleber Soares – 35 a 39 anos
Felipe Eilert dos Santos – 45 a 49 anos
Paulo Ricardo Soares dos Santos - 55 a 59 anos
Rafael Bertolini – 35 a 39 anos

Feminino
Ana Maria Huber – 35 a 39 anos
Graziela Tomasi – 35 a 39 anos
Maiara Machado – 30 a 34 anos




Redação

E-mail para contato contato2005301735449272@2005301735448444esportesc.com.