Conteúdo
Repórter:
Publicação: 17/09/2018 11h28
Atualização: 15h04

A delegação brusquense retornou para casa após os Jogos Abertos de Santa Catarina com três troféus de bronze. Dois deles foram conquistados no domingo (16), último dia de competição, no basquete masculino e no voleibol feminino, duas das modalidades mais tradicionais do município. O terceiro pódio veio antes, no ciclismo masculino.

No basquete, a equipe do técnico Bicudo perdeu nas semifinais para São José no sábado (15), em um jogo que terminou em 70 a 61 para a equipe adversária. O time seguiu para a disputa do terceiro lugar com o Concórdia. Brusque demonstrou superioridade e venceu a concorrente pelo placar de 74 a 64, conquistando assim o troféu de bronze.

Já as meninas do vôlei venceram a disputa pelo terceiro lugar no jogo contra as donas da casa, Caçador. A equipe venceu a partida por 3 sets a 1, com parciais de 25 a 13 no primeiro set, 25 a 17 no segundo, 25 a 19 favorável à Caçador no terceiro e 25 a 16 para Brusque no último.

O ciclismo encerrou a participação nos Jogos abertos antes, ainda na última quarta-feira (12), também com o terceiro lugar da modalidade. A cidade fechou essa disputa com 47 pontos e só confirmou o pódio na última prova, com o oitavo lugar de Renato Pereira no downhill. Foram duas medalhas na modalidade, Ariel João da Silva ficou com a prata no BMX, enquanto André Eduardo Gohr foi medalhista levou o bronze na prova de Contrarrelógio Individual.

No quadro geral de pontos, Brusque ficou com a 16° posição, já na classificação por número de troféus a delegação ficou em 20° lugar, com apenas três de bronze. No quadro de medalhas a equipe levou o 27° lugar, com uma prata e quatro bronzes.

O superintendente da Fundação Municipal de Esportes, Olavo Larangeira Telles, considera esses bons resultados. “A avaliação é positiva. Dentro daquilo que podemos ofertar não fugiu das nossas expectativas. Mesmo sem muitos pódios, várias modalidades se comportaram bem e foi de muita valia”, explica ele.


Município apresenta queda de rendimento
Apesar da avaliação de Olavo, o ano de 2018 tem representado uma queda no desempenho esportivo para o município. Além de não ter recebido nenhum voto para sediar a edição de 60 anos dos Jasc em 2020, a delegação teve o pior desempenho nos últimos anos de Jasc.

Em 2017 Brusque ficou em sétimo lugar no quadro de troféus, com apenas dois, mas ambos de primeiro lugar no ciclismo e no basquete masculino. O ano de 2015 foi ainda melhor para o município, que levou a quarta posição na classificação por troféus, com um total de seis deles, três de ouro, dois de prata e um de bronze. Em 2014 Brusque ficou em quinto lugar, com cinco troféus, dois de ouro e três de prata. Neste período, os Jasc não foram realizados em 2016 em razão de um temporal que devastou a cidade de Tubarão, município sede daquela edição, semanas antes do início do evento.

Para Olavo, mesmo com o número reduzido de troféus, o município teve uma ótima participação pela representatividade obtida. “Em relação às conquistas pode ter sido fraco, mas aumentou muito a representatividade do município. Acho que o que falta é investimentos, tanto do setor público quanto privado. Temos que pensar não só nos Jasc, mas também na Olesc e nos Joguinhos, na parte da formação. Outros municípios fazem um grande investimento nesses atletas e isso faz toda a diferença”, avalia.