Conteúdo
Repórter:
Publicação: 24/04/2016 14h15
Atualização: 19/06/2016 02h52

 Quente. Essa palavra define muito bem o que foi o jogo entre Caçador e Poço Fundo neste domingo (24). Confusão entre jogadores, técnico, arbitragem e até torcedores. Um calor absurdo que castigou a todos os presentes no Campo do David. E uma partida de futebol muito pegada, lá e cá. Em peleja válida pelo jogo de ida das semifinais do Campeonato Municipal de Futebol Amador de Brusque, os dois times criaram o mesmo número de chances. As oportunidades criadas pelo Poço Fundo foram mais claras, mas quem aproveitou melhor foi o mandante. Vitória do Caçador por 2 a 1.

Veja as imagens da partida.

Os lances

A primeira oportunidade clara de gol foi do Poço Fundo. André Rezini subiu de cabeça e tocou pra fora. O vereador estava livre na pequena área, monstruosa chance perdida, aos 12 minutos. Com 16, o Caçador respondeu com Dener. O atleta dominou a bola na intermediária levantando-a para o chute. De primeira, mandou raspando a trave, seria um golaço.

Pouco depois, Edgar foi lançado na cara do gol e encobriu Fabrício, para fora. Mais uma chance claríssima desperdiçada pelos visitantes. Aos 32 minutos, o mesmo Edgard desperdiçou mais uma oportunidade clara, cabeceando pra fora livre de marcação, no segundo pau.

Com 38 minutos da etapa inicial, José Marcos caiu na área e o árbitro assinalou pênalti. Cobrança perfeita de Ramom: bola para um lado, goleiro pro outro. Caçador 1 a 0. Festa da torcida alviverde que mais uma vez compareceu em grande número.

A festa aumentou cinco minutos depois, quando Dener cruzou rasante na área e Alex pegou de primeira, o arqueiro Luciano ainda espalmou a bola, mas ela entrou. Gol de Alex, Caçador 2 a 0. O jogo foi para o intervalo.

Etapa Final

No segundo tempo a arbitragem se perdeu e os ânimos ficaram exaltados. Logo aos 8 minutos, Vanderlei, do Poço Fundo, foi expulso e quis bater no árbitro. O atleta foi impedido pelos companheiros. Com 18 minutos, mesmo com um a menos, os visitantes perderam chance clara de gol, com Sidnei. O atleta pegou sobra na meia lua e bateu raspando a trave.

No lance seguinte, a bola chegou para José Marcos, na cara do gol. Ele chutou a bola e acabou trombando com o goleiro Luciano. O árbitro, de maneira exagerada, expulsou o atacante do Caçador após muita reclamação do Poço Fundo. Luciano passou mais 5 minutos em campo e foi substituído por Ricardo, em decorrência da dividida com José Marcos.

Aos 35 minutos, o gol que deixou o confronto em aberto para a volta. Bola na área e Edgar conferiu para as redes. A partida foi encerrada com 2 a 1 para o Caçador, que joga por um empate na volta.

Confusão

Perto do final do jogo, um rojão estourou em meio à torcida do Poço Fundo. Confusão generalizada e uma senhora invadiu o campo muito exaltada. Torcedores do Caçador afirmam que foi a própria torcida do Poço Fundo quem jogou o artefato. A torcida dos visitantes discorda e houve muita revolta.

O treinador do Poço Fundo, Felipe Bodenmuller, também se revoltou. “Atitude de bandido, quem fez isso é criminoso! Jogou o rojão no meio das crianças”, disse, visivelmente transtornado pelo acontecimento. Sobre o jogo, o técnico disse que a vitória do Caçador foi merecida e criticou a arbitragem.

Já o treinador do Caçador, Sandro Wehrmann, exaltou a qualidade do jogo. “Partida muito pegada, os dois times brigaram demais por cada bola. O Poço Fundo é muito forte e nós sabíamos que seria assim. Porém, vencemos por merecimento e talvez poderíamos até ter ampliado esta vantagem”. Sobre a arbitragem, o técnico também lançou críticas. “Ele prejudicou os dois times, mas acredito que o Caçador tenha perdido mais do que o nosso adversário. A expulsão de José Marcos foi errada. Eu estava a dois metros do lance, ele chutou a bola e acabou trombando com o goleiro depois. Não era pra tudo isso”.