Conteúdo
Repórter: Sidney Silva
Publicação: 23/07/2016 19h18
Atualização: 24/07/2016 00h52

A cor preta tomou conta da praça Sesquicentenário e seu entorno neste sábado. O preto do luto, na vestimenta de cerca de 500 pessoas que se espalharam pela praça, sobretudo na pista de skate, representou a perda de um talentoso personagem da modalidade, mas com certeza muito mais do que isso. A perda principalmente de um jovem cheio de sonhos e ambições, que mesmo em tão pouco tempo construiu o seu legado também no ambiente social e familiar. O sábado iluminado de sol serviu sobretudo para os amantes do skate valorizarem tanta coisa bonita que Nicholas Belz construiu em sua pequena, mas grandiosa trajetória de 19 anos antes de falecer na quinta-feira vítima de um acidente de trânsito (Saiba mais). Algo que vai muito além do esporte.

O carinho por Nicholas demonstrado por centenas de pessoas na Praça Sesquicentenário neste sábado “não tira a dor”, como define seu pai, Sidnei Belz, o popular Magau, mas mostra o quão especial Nicholas era para as pessoas ao seu redor. “Acho que essa dor jamais vai sair, mas isso aqui me mostra de maneira mais evidente o quão bom, o quão especial e quanta luz ele tinha. Isso aqui alegra um pouco nosso coração, saber que nosso filho era desse jeito”, comenta Magau. É com muita dor, e ainda bem abalado que Magau avalia a grande manifestação de amigos e adeptos do skate dois dias depois de perder seu filho e também seu grande parceiro das rodinhas. Ele viu cada cantinho da pista de skate ser tomado por cartazes e manifestações lembrando do carisma de Nicholas, em uma homenagem que reuniu skatistas de Brusque e também de vários outros cantos do estado. 

“Eu espero que esse momento, essa coisa bonita que aconteceu aqui do Nicholas sirva como combustível para que a gente continue fazendo esse trabalho para ajudar essa molecada não só no skate, mas no sentido de ser o que ele era. Porque assim, era uma pessoa humilde, honesta, colaboradora, que sempre ajudou todo mundo. E uma pessoa que numa vida tão curta, apenas 19 anos, conseguiu construir isso aqui (chora emocionado). O que muita gente, com muitas outras possibilidades, com uma vida muito mais longa não conseguiu construir nem perto do que ele construiu”, diz Magau, que define o filho como uma pessoa maravilhosa, benquista por todos “Não por ser meu filho, mas era uma pessoa muito especial e quero que ele fique no coração de todo mundo, de todas essas pessoas para o resto de suas vidas. E que essas pessoas acabem nos ajudando para que a gente consiga seguir na caminhada e superar essa perda irreparável”.

Por fim, Magau que sempre inspirou o filho e também vários outros jovens na prática de skate e capoeira na cidade, lembrou de uma mensagem vista numa rede social lamentando a morte de Nicholas. Ele diz que todas as pistas do mundo ficaram com um buraco (se emociona) inconsertável. “Esse buraco nada nem ninguém vai tampar nas pistas de skate seja onde a gente for, todas as pistas de skate vão estar com esse buraco inconsertável. Então o Nicholas vai ser um buraco inconsertável em todas as pistas de skate, mas vai ser uma luz muito grande (sorri), uma luz muito bonita, para todas essas pistas e para todas as pessoas que estiverem frequentando elas também. E vai ser uma luz bonita para o skate do mundo inteiro. Era isso que eu queria falar. Muito obrigado meu filho, de coração. Papai e mamãe, família e o pessoal do skate te ama e vai te amar pra sempre”, finaliza emocionado.

Veja abaixo algumas imagens. 



Sidney Silva

E-mail para contato redacao2005300009211038@2005300009219554esportesc.com.