Conteúdo
Colunista: Luiz Gianesini
Publicação: 25/09/2020 06h56

O entrevistado desta semana é o radialista, Delamar da Silva, nascido em Brusque aos dia 13 de novembro de 1973, no Hospital Evangélico; filho de Dario da Silva e Arani Dutra; casado com Patricia Aparecida Assi da Silva; filhos: Thiago e Felipe. Torce para o mengo. 

Sonho de criança?

Meu sonho estou vivendo todos os dias, fazendo rádio, quando criança, eu e meu irmão Deivis, nós já brincávamos de fazer rádio em casa,  e essa história já vem de berço e está no sangue da família, meu pai é radialista a mais de cinco décadas e todos os meus irmãos são radialistas, dois deles não trabalham mais em rádio e um deles a maioria das pessoas conhecem, o Dirlei Silva, que continua até hoje. 

Pessoas que influenciaram?

Quem sempre me influenciou foi minha mãe, ela sempre foi batalhadora, criou os 4 filhos praticamente sozinha, porque ela e meu pai se separaram ainda quando nós éramos muito pequenos, então ter caráter, trabalhar e não desistir nem no momento de dificuldades foi o que ela demonstrou na prática, porque depois da separação ela sempre viveu sozinha e dedicou e se dedica até hoje para os filhos. Meu pai também teve uma influência muito grande na minha vida em relação a minha profissão como radialista, sempre quando ele me ouvia me dava dicas de melhorias, ou seja, também é um cara que me ajuda muito até hoje.

O início da trajetória na rádio?

Comecei na Rádio Cidade em 01 de abril de 1987, já trabalhei em outras emissoras, mas nunca deixei de fazer futebol, as transmissões esportivas. Hoje no rádio de Santa Catarina, sou o plantão mais antigo, ao lado de Edson kursio, da rádio Guaruja, em Florianópolis.

Quanto a participação no futebol?

Comecei fazendo técnica no futebol em 1987 com uma equipe craque do futebol, o narrador era Antônio Carlos Kormann, comentários Nilson Costa (já falecido) e Dirlei Silva nas reportagem, na época o meu irmão Deivis da Silva fazia o plantão.

Na sequência?

Depois houve mudanças na rádio, o Antônio Carlos e o Nilson saíram da rádio, e o Dirlei ficando comandando o futebol, com a contratação de Sérgio Ferreira e o saudoso Jota Duarte nos comentários.

E as parcerias com Dirlei e Deivis?

O Dirlei continuava na reportagem e o Deivis no plantão e eu continuava fazendo a mesa de áudio. Em 1993 eu comecei a fazer o plantão, o Deivis foi para repórter de campo e o Dirlei nos comentários. E assim estou até hoje. Já fiz reportagem de campo, mas sempre gostei de estar no estudio

Você gosta do que faz?

Só quero aqui dizer que na rádio já fiz e faço muita coisa, repórter (policial, político e de campo), apresentador de jornal e programas, coordenador, plantão esportivo, ou seja, o rádio me ensinou e me ensina o quanto é importante você gostar e amar o que faz, é terrível você trabalhar apenas pelo salário no final do mês, acho que pessoas que trabalham assim não são completamente felizes, sempre vai faltar alguma coisa. 

Grandes nomes?

Destacaria: Antônio Carlos Kormann, Rubens Kistner (in memoriam),  Nilson da Costa (in memoriam); Sérgio Ferreira, Fábio Sutter, Rodrigues Santos, Waldemar José Duarte, conhecido Jota Duarte  (In memoriam), Joel do Valle  (in memoriam), Dimitri do Valle, filho do Joel, hoje jornalista em Curitiba

Quais programas você comanda?

Faço Dois Programas:

CLUBE DA CIDADE, desde 1987 estamos na Rádio Cidade e o Clube da Cidade é um projeto do rádio que foi alterado, depois de alguns anos que a rádio teve slogan: rádio da informação, a gente mudou para uma rádio completa.

Hoje o rádio é muito ativo: Vídeo, celular, jornalismo em vídeo - é que muitas emissoras do país estão fazendo e estamos seguindo o mesmo formato: programa de entretenimento na ativa – que esse é objetivo do programa que faço das 9 ao meio dia: prestação de serviço, utilidade pública, bolsa de empregos, classificados, participação do ouvinte

MÚSICA DA GENTE

Um programa mais tradicional...das 4 às 6 -  para acordar a galera ... uma programação diferenciada já de madrugada 



Luiz Gianesini - Coluna Personalidades do Esporte

Nascido em Brusque, em 8/10/1948, Luiz Gianesini é filho dos saudosos Evaldo e de Ida Maria Boni Gianesini. Já escreveu suas crônicas em diversos jornais. Em EsporteSC, conta quinzenalmente a história de celebridades que marcaram época no esporte E-mail para contato luizgianesini12010291610388520@2010291610387691gmail.com.