Conteúdo
Colunista: Gustavo Assi
Publicação: 04/03/2020 23h29

Na psicologia do esporte e do exercício, a motivação pode ser definida como a direção e a intensidade de nossos esforços. A direção pode ser entendida como a busca ou aproximação por determinadas situações, enquanto o esforço seriam os comportamentos que emitimos nessas situações. Quanto mais comportamentos nós emitimos em alguma situação, mais provavelmente outras pessoas nos reconheceram como “motivados”.

Mas para entender de onde ela vem, é preciso esclarecer que a motivação não é uma força oculta ou invisível que está apenas dentro de nós. Nós não nascemos motivados a trabalhar, a estudar, a praticar esportes ou ter uma vida saudável, tudo isso é aprendido. É na relação que temos com o mundo no decorrer de nossa vida que adquirimos as habilidades para nos mantermos motivados, ou buscarmos aquilo que nos motiva.

Se ao praticar exercício eu obtenho consequências positivas (como liberação de neurotransmissores, melhora no condicionamento físico, reconhecimento social ou prêmios), é bem provável que eu faça isso novamente. Se ao praticar exercício eu evito consequências aversivas (como doenças relacionadas ao sedentarismo ou mesmo uma bronca do médico), também é bem provável que torne a me exercitar.

Busque se conhecer melhor. Quais atividades você gosta de fazer? De que forma? Quando e onde? Você tem obtido consequências positivas? Quais e com que frequência? Responda essas questões, pois na próxima semana trarei algumas dicas para ajudar a desenvolver a motivação.



Gustavo Assi - Coluna Coluna: Psicologia do Esporte

Gustavo Assi é psicólogo formado pela Unifebe e pós-graduado em Neuropsicologia pela Uniara. Atua como psicólogo clínico e, dentre todas as demandas, atende, também, atletas por meio de consultoria em psicologia do esporte e do exercício. E-mail para contato psigustavoassi2006051252172299@2006051252171470hotmail.com.