Conteúdo
Repórter:
Publicação: 17/11/2017 18h00
Atualização: 16/11/2017 15h31

O Crossfit foi criado por Greg Glassman na Califórnia em meados da década de 90. Originalmente para o treinamento das forças armadas americanas, no ano de 2000 foi liberado para a população civil e caiu nas graças do público. O ex-ginasta desenvolveu um método composto por exercícios de alta intensidade que se dedica ao condicionamento físico e a melhora das 10 capacidades físicas, ao contrário de outros treinamentos que se especializam em apenas uma.

Além de uma forma de treinamento físico, o Crossfit também se tornou uma modalidade esportiva com competições Brasil afora. A primeira aconteceu em 2007 na Califórnia. Entre os atrativos da modalidade está o dinamismo: os treinos são sempre diferenciados.


10 Capacidades Físicas

Resistência cardiorrespiratória;

Resistência muscular;

Força;

Flexibilidade;

Potência;

Velocidade;

Coordenação;

Agilidade;

Equilíbrio;

Precisão.

CROSSFIT BRUSQUE

Diogo Crespi conheceu a modalidade há 7 anos em Bauru, São Paulo. Desde então sentiu o desejo de abrir seu próprio box, como são chamadas as 'academias' de Crossfit. Em abril de 2017 o sonho virou realidade e o box Crossfit Brusque foi inaugurado.

Para ele, o grande benefício do esporte é a sua abrangência, a possibilidade de trabalhar todas as capacidades físicas. Em seu local, situado no bairro Santa Rita, ele trabalha com movimentos originados do LPO (Levantamento de Peso Olímpico), da ginástica, trabalhando com o peso do corpo, cordas, saltos, argolas e movimentos metabólicos como remar, correr e pular corda.

Crespi ressalta a intensidade e dinamismo dos treinos como um motivador para a prática. “Todo dia é um treino diferente, um desafio diferente. E esse é o objetivo do Crossfit, desafiar os alunos. Eles têm que estar aptos a fazer o que surgir pela frente e sempre melhorar o condicionamento físico”.

O profissional também enaltece a democracia do Crossfit, lembrando que pode ser praticado por qualquer pessoa. Ele lembra que por ter sido criado para militares, a modalidade também é praticada por pessoas com deficiências físicas como amputação. Seu box tem como público pessoas de várias idades, desde crianças, pais de família, e empresários que buscam na modalidade um estilo de vida.

Essa é outra diferença entre o Crossfit e outros treinamentos mais tradicionais, conta ele. Para Crespi, atualmente o Crossfit se tornou um estilo de vida. As pessoas que começam a praticar logo apresentam uma mudança na dieta e no comportamento. Ele comenta que tudo é feito para que cada aluno alcance os seus objetivos. Todos se relacionam como uma família. “O aluno chega aqui e se sente em casa. A gente faz eventos juntos, vamos nas competições juntos. Fim de semana vamos para festas e praias. É por isso que a galera vem pra cá, pra se sentir à vontade, treinar, se divertir e confraternizar”, destaca.

Para as pessoas que têm interesse em conhecer mais sobre a modalidade e seus benefícios é possível fazer uma aula experimental, argumenta. “Tenho certeza que vão se apaixonar. Não tem como não se apaixonar pelo Crossfit. A metodologia é total mete dinâmica, diferente. O Crossfit é para todos, não tem distinção de idade, peso, altura… Qualquer um pode vir, a casa está sempre aberta”, convida.


História de princesa

Edilene Hodecker, 27 anos, se sentiu desafiada por Diogo Crespi no fim do ano de 2015. O desafio era mudar o estilo de vida, com um trabalho de personal trainer, com todo acompanhamento e cuidados necessários. “Topei e resolvi mudar. Fácil não seria, mas encarei”, comenta a até então princesa da última edição da Fenarreco.

Desde então, foram muitos quilos perdidos e a autoestima recuperada. “Consegui eliminar 20 quilos e ampliar horizontes até conhecer por meio dele (Diogo) o Crossfit. Foi paixão desde o princípio”, comenta.

Em junho do ano passado Edilene se matriculou regularmente e resolveu praticar a atividade todos os dias. “No começo às técnicas são difíceis, mas quando começamos a nos dedicar e querer fazer certo se torna prazeroso. Com apenas dois meses de cross me inscrevi para uma competição o Bluopen, foi superação total e mais vontade de melhorar cada técnica. Hoje ainda existem movimentos que não consigo fazer, por exemplo Pull up (nome da técnica), pois falta força no coor e braços, porém, sei que é algo treinável e preciso me dedicar”, ressalta. “Esse ano não consegui competir devido a agenda, mas é algo que nos motiva, que nos faz querer superar a si mesmo e ajudar os companheiros de box. Realmente nos tornamos uma família sem ser de sangue aqui no Crossfit Brusque. É o Crossfit que nos move”, completa.


Sobre o local  

Crossfit Brusque 

Rua Almirante Barroso, 286, Santa Rita
Telefone: (047) 3351-9738
E-mail: [email protected]
Mídia Sociais:  Instagram @crossfitbrusque / Facebook CrossFit Brusque


AEON CROSSFIT


“O que te desafia te transforma”, esse é o lema do box Aeon Crossfit. Jefferson Prette diz que esse é o objetivo da modalidade, desafiar a si mesmo e seus limites, promover uma mudança de vida e hábito para as pessoas.

Prette entrou em contato com a modalidade quando trabalhava com fornecedores de equipamento para Crossfit em 2015. Mas foi quando participou de uma prova de maratona na Amazônia que percebeu a popularidade do esporte no exterior e teve a ideia de implementar uma academia em Brusque. Quando voltou, logo entrou em contato com os fornecedores e deu início ao projeto de abrir o primeiro box credenciado em Brusque. Após todas as burocracias, Prette conseguiu inaugurar o espaço em 29 de janeiro de 2016.

Ele conta que o primeiro ano foi complicado graças a mitologia de que apenas os “bombados” da academia poderiam praticar a modalidade e admite que errou no começo ao focar apenas nos atletas que competiam. “Faltava o pessoal que talvez mais precisasse do Crossfit, a pessoa que corre na Beira Rio, pedala, de mais idade e até mesmo a criança”. Ele também defense a tese de que o Crossfit pode ser praticado por todos e que os exercícios podem ser adaptados dependendo da dificuldade de cada um.


Exemplo de superação

A prova viva de que o Crossfit é para todos está em Vitor Testone, que pratica a modalidade mesmo tendo uma das pernas amputadas do joelho para baixo. Ele conta que sempre foi muito ativo e praticou vários esportes, mas que sempre enjoava depois de um tempo. No Crossfit Testone encontrou o dinamismo que tanto buscava. No ano passado ele chegou a fazer uma aula experimental na Aeon. Naquele momento, no entanto, alega não ter se sentido muito a vontade. “Meio que me senti deslocado, então acabei deixando quieto… Voltei há um tempinho realmente pra me esforçar, e a equipe lá, os coach's, são os melhores”, comenta.

A principal dificuldade no começo, segundo ele, foi o nervosismo. “Pela minha diferença, acho que o Crossfit é o esporte que mais exige da pessoa, o que para mim se torna um estímulo, pois tenho que me esforçar mais do que o normal para tentar chegar ao nível de quem treina comigo”, observa.

Além do aprimoramento físico, ele ganha também na mentalidade. Testone conta que aprendeu com o CrossFit que sempre é possível melhorar e se esforçar mais. Agora mais à vontade com os professores e colegas de treino, diz que se sente em uma família.

Prette recomenda que o pessoal que não está acostumado a se exercitar e não tem condicionamento físico comece pelo treinamento funcional. A Aeon tem, inclusive, aulas especiais para as crianças, “Não é um treino para a criança, é uma diversão. A mãe deixa aqui duas vezes por semana, uma hora de aula. Criança tem que gastar energia e aprender, fazer um exercício também com raciocínio”.

Ele destaca que as principais diferenças entre o treino CrossFit e o Funcional é o uso de pesos e o fato do Crossfit ser um esporte competitivo. Prette também comemora a presença de famílias que treinam juntas e o relacionamento entre os atletas que são muito amigos. “Isso tudo é muito gratificante”.


Sobre o local 

Aeon Crossfit
Rua 7 de Setembro, 13, Santa Rita
Telefone: 3355-9034
E-mail: [email protected]
Mídia Sociais: Instagram @aeoncrossfit / Facebook aeoncrossfit