Conteúdo
Repórter: Sidney Silva
Publicação: 09/10/2019 17h58
Atualização: 18h04

Se tornar jogador de futebol é um sonho para poucos, num esporte totalmente machista então, chegar lá para uma mulher é quase uma utopia. Mas não para a goleira guabirubense Luana Bittelbrunn. Embora ainda longe de conseguir o sonho de viver do esporte, ao menos ela já colhe as glórias de conquistar um título de relevância na principal modalidade do planeta.

Atualmente morando em Palhoça, na Grande Florianópolis, Luana recentemente foi campeã mundial de futebol de 7 com a equipe do Figueirense/Paula Ramos. A grande final da competição foi realizada em Roma, na Itália, com vitória do time catarinense nos pênaltis diante da Lazio. “Foi um jogo muito disputado e nervoso. As duas equipes jogando muita bola, logo no primeiro tempo conseguimos nosso primeiro gol. Depois, já no segundo, tivemos uma expulsão, onde nos prejudicou e a Lazio conseguiu o empate. E no shoot out saímos com a vitória! Foi maravilhoso! Sentimento único, felicidade extrema!”, comemora Luana, que pela primeira vez participou de uma competição desse porte. Há apenas dois meses ela joga na equipe da capital. Além da Lazio, o time catarinense ainda deixou pelo caminho duas equipes russas, além do União Ribeirão, time paranaense, também tradicional na modalidade. “Meu primeiro mundial de clubes e com título é sensacional! Ainda mais em Roma! Lugar maravilhoso!”, celebra a guabirubense.

Luana começou a jogar nos campeonatos municipais de Guabiruba, cidade pela qual tem gratidão. Ela diz que o futebol de 7 feminino ainda encara muito preconceito, fruto de poucos investimentos e apoio, “mas tem muitas pessoas trabalhando em prol do esporte”, revela, com a expectativa de que a modalidade siga crescendo nos próximos anos.

Sobre ser campeã mundial, a goleira guabirubense diz que é uma sensação indescritível, “uma emoção que não cabe no peito”, sem esquecer, é claro, as origens. “Tenho muito orgulho de ser guabirubense. Foi onde iniciei no esporte, tive professores que me incentivaram desde o começo a seguir e persistir no meu sonho de ser atleta. Agradeço muito a meus pais que estiveram sempre ao meu lado, me apoiando e acreditando no meu sonho! Hoje, sou campeã mundial graças a eles, meus pais, minha base!”, finaliza.

Veja a campanha do Figueirense/Paula Ramos
Figueirense/PREC 5x0 Ma-Rus (RUS)
Integral FC (RUS) 0x14 Figueirense/PREC

Semifinal
Figueirense/PREC 3x1 União Ribeirão

Final
Figueirense/PREC (2) 1x1 (1) Lazio (ITA)


Fotos: Divulgação



Sidney Silva

E-mail para contato redacao1910230300452015@1910230300451187esportesc.com.