Conteúdo
Repórter: Sidney Silva
Publicação: 17/04/2016 14h26
Atualização: 18/04/2016 13h16

No duelo entre os dois principais favoritos ao título do Campeonato Municipal de Futebol Amador de Brusque, quem avança em busca de mais uma taça é o Poço Fundo.

Na manhã deste domingo (17), o campeão do municipal de 2014 chegou a deixar escapar uma vantagem que parecia tranquila, mas ao fim conseguiu a classificação nas disputas de penalidades diante o até então atual campeão Santos Dumont.

Depois de vencer o primeiro jogo por 3 a 1 fora de casa, o Poço Fundo viu o rival se impor no estádio da Abresc e abrir 2 a 0 ainda no primeiro tempo. Menos mal para a equipe que o árbitro Washington Lemos deu uma penalidade inexistente a favor do time da casa. Sem ter nada a ver com isso, Edgar Bertolini descontou ainda nos 45 minutos iniciais.

GALERIA
> Veja as imagens da partida

Na etapa final, o jogo se inverteu. O Santos Dumont perdeu o fôlego devido ao ritmo alucinante imprimido na primeira etapa. E aí só deu Poço Fundo, apesar de o time do bairro Santa Terezinha, em um dos poucos contragolpes, ter conseguido ainda colocar uma bola na trave com Luan. Pelo Poço Fundo, sozinho, André Rezini perdeu a chance do empate, e de evitar o sofrimento que viria depois, ao desperdiçar um gol debaixo das traves.

Do outro lado, mesmo já entregue, a camisa do Santos Dumont pesou para que a equipe ainda buscasse o gol salvador, que naquele momento levou o jogo às penalidades. Coube a Marcelo, camisa 10 que já havia anotado o único gol da equipe no confronto de ida, novamente dar esperança ao time. Outra vez cobrando falta, ele decretou o terceiro gol do Santos Dumont já aos 46 minutos da etapa final. 

Nas penalidades, porém, quem comemorou foi o Poço Fundo. Edgar, Marcio, André Rezini e Cleiton marcaram para a equipe. Deivis Luís e Lucas Mosimann desperdiçaram para o Santos Dumont, que perdeu por 4 a 2 e se despediu da competição.

O adversário do Poço Fundo agora será o Caçador, que na outra partida das quartas de final bateu o Âncora por 2 a 0. Na ida, a equipe havia perdido por 2 a 1. Quem também avançou neste domingo foi o Carlos Renaux. Depois de empatar em 2 a 2 na primeira partida com o Janpe, o Vovô atropelou o rival e venceu por 5 a 0. O adversário do Carlos Renaux sai à tarde, na partida entre Cia do Esporte/Endor e Cedrense. Os times fazem o jogo de volta às 15h30 no estádio Vicente Bissoni. Na ida, deu Cia: 2 a 1.

O jogo
Era uma partida de tudo ou nada para o Santos Dumont. E precisando de três gols, a equipe não teve outra alternativa a não ser se lançar ao ataque desde o primeiro minuto. E foi assim que o time do bairro Santa Terezinha encurralou os donos da casa. Pressão sobre pressão que resultou no gol de André aos 10 minutos de partida.

O gol no início só fez aumentar a esperança da equipe de que era possível reverter a vantagem do até então invicto Poço Fundo. O domínio alvinegro continuou até que em bola na área, Lucas de Souza chegou dividindo com a zaga e colocou para as redes perto dos 30 minutos: 2 a 0.

Praticamente assistindo o adversário jogar, as únicas chances do Poço Fundo praticamente só ocorriam nas escapadas de Neizinho. Esperança de gol da equipe, Carioca pouco era acionado até que aos 35 minutos recebeu na grande área, mas perdeu a disputa de bola com o goleiro Anderson. O arqueiro pegou somente na bola em disputa pelo chão. A arbitragem, equivocadamente, assinalou pênalti para os donos da casa. Edgar bateu e diminuiu, para revolta dos atletas e comissão técnica do Santos Dumont e respiro no banco do Poço Fundo, com os atletas reconhecendo que nada houve na jogada.

Etapa final
Quem esperava um Santos Dumont mais agudo na etapa final, se enganou. A equipe que precisava de apenas mais um gol para levar a decisão para os pênaltis foi acuada por um outro Poço Fundo na etapa final. Nos 45 minutos finais, o clube da casa passou a pressionar e pouco dava chances para o adversário, mas pecava na última bola, quando não obrigava o goleiro Anderson a boas defesas. O arqueiro, aliás, por pouco não entregou a classificação de bandeja para o Poço Fundo. Falhou em cruzamento, mas André Rezini, sozinho, mandou por cima do gol. Na melhor chance do Santos Dumont, Luan acertou à trave minutos antes.

Gol nos acréscimos
O jogo parecia decidido, quando o Santos Dumont conseguiu respirar e resolveu tentar um abafa já nos cinco minutos finais. Pouco depois de o árbitro Washington informar seis minutos de acréscimos, a equipe chegou ao empate por meio de uma bola parada na lateral esquerda do campo. Com perfeição, Marcelo mandou no cantinho, o goleiro Luciano ficou parado e viu a pelota morrer no fundo do gol: 3 a 1 Santos Dumont e jogo decidido nas penalidades máximas.

Nas cobranças alternadas, quem brilhou foi Luciano ao defender o pênalti batido por Deivis, o terceiro da equipe visitante. Pouco depois, Lucas Mosimann mandou para fora e acabou com as esperanças do time do bairro Santa Terezinha em conquistar o bicampeonato.

"Saímos de cabeça erguida", diz técnico do Santos Dumont
O técnico do Santos Dumont, Sólis Queiroz, diz que a equipe sai triste, como é normal, pela eliminação, mas muito fortalecida pela volta por cima após a primeira partida. "O que aconteceu para trás pode acontecer com qualquer equipe e provamos hoje que tínhamos condições. Perdemos nos pênaltis, e isso é normal. Ninguém acreditava, a não ser a gente, mas demos a nossa resposta. O grupo veio aqui e fez a sua parte. Por isso está todo mundo de parabéns", diz.

"No futebol, as coisas só se definem dentro de campo", comenta treinador do Poço Fundo
Felipe Bondemuller, treinador do Poço Fundo, exaltou a superação do rival. Ele diz que há duas semanas escutava que esta era a final antecipada, e o que aconteceu foi uma prova de que o futebol se resolve dentro de campo. "Dentro de campo as equipes mostraram que realmente isso é um jogo de futebol. Foram dois jogaços, pegado, reclamado. Sempre vai ser, amador é assim", destaca. "Tenho que parabenizar as duas equipes. O Santos Dumont jogou muita bola hoje. O Poço Fundo soube controlar até onde pode. Acabou tomando os gols, mas depois tivemos tranquilidade para definir nos pênaltis. Hoje, foi a prova que fazer 3 a 1 na casa do adversário não define nada, se não jogar em casa não adianta nada", diz.



Sidney Silva

E-mail para contato redacao2010200041031042@2010200041039600esportesc.com.