Conteúdo
Repórter: Redação
Publicação: 22/03/2018 23h23
Atualização: 23h45

Jogando em casa e defendendo uma invencibilidade de quatro jogos, o Brusque decepcionou a torcida nesta quinta-feira (22) ao perder para o Tubarão no estádio Augusto Bauer. A partida acabou em 3 a 2 para o adversário, que se manteve à frente do próprio Brusque com o resultado. A equipe do Sul chegou aos 20 pontos, na quinta colocação, enquanto o Brusque, com 17, perdeu uma posição para o Criciúma e agora é o sétimo, ficando ainda  sob risco de rebaixamento e mais distante da Copa do Brasil.

A três rodadas do fim, o Brusque está agora cinco pontos atrás do Avaí, atual terceiro colocado. A equipe volta a jogar no domingo, diante da líder Chapecoense, novamente no estádio Augusto Bauer.

O JOGO

A partida começou com os dois times afunilando muito as jogadas no setor de meio campo. O Tubarão chegou a ter as primeiras chances em dois erros de passe de Valkenedy, mas não aproveitou. Mas o Brusque foi mais incisivo como no chute perigoso de Jefferson Renan e depois na finalização de Safira. Aos 13, a zaga do Peixe furou e o jogador, completamente sozinho na marca do pênalti, chutou por cima e perdeu grande chance.

JOGO PEGA FOGO
Dos 15 aos 23, o jogo pegou fogo e foi cercado de emoção. Primeiro, Safira girou sobre a marcação e finalizou no canto. A bola fraquinha ainda pareceu ser desviada por Adãozinho, mas a arbitragem confirmou o gol para o camisa 11. Depois, aos 20 e aos 22, veio a virada do Tubarão em dois vacilos defensivos da defesa. Primeiro, o goleiro André Luiz, novidade na equipe no lugar de Dida, saiu mal e Liél desviou de cabeça para as redes: 1 a 1. Logo na sequência, em uma falha coletiva da zaga do Bruscão, Mateus Barbosa, também de cabeça, virou o jogo: 2 a 1. A resposta do Brusque, porém, não demorou. Jefferson Renan, em chute preciso, marcou um bonito gol um minuto mais tarde: 2 a 2.

Depois de quatro gols em menos de dez minutos, o jogo seguiu equilibrado. Mas foram poucas chances dos dois lados. O Brusque ainda teve uma boa oportunidade aos 39, quando Safira tirou do goleiro com categoria em chute cruzado, mas a bola caprichosamente bateu na trave e saiu.

TUBARÃO EM VANTAGEM
Na etapa final, os times voltaram sem mudanças. O Brusque teve a primeira grande chance em lance que Carlos Alberto matou bonito no peito, mas chutou fraco na hora da finalização. Mas aos 10 o Tubarão foi fatal. Com espaço, Daniel Costa meteu uma pancada de fora da área. A bola explodiu no travessão, a zaga não acompanhou o rebote e David Batista só completou para as redes na cara de André Luís: 3 a 2 Peixe. O detalhe é que o jogador dominou com a mão antes da finalização. A arbitragem nada marcou.

Após o gol validado, o Brusque sentiu o baque e praticamente não assustou mais o time adversário. Com muitas baixas e poucas opções no banco, Pingo ainda colocou Luizinho no lugar de Valkenedy, que foi mal na partida. A mudança pouco fez efeito no entanto para o time, que ainda perdeu Neguete expulso, já no fim da partida. 

Do lado contrário, o Tubarão controlou bem o jogo e não sofreu grandes sustos. O time ainda teve duas  boas chances, novamente nas bolas aéreas, grande deficiência da zaga do Bruscão e responsável direta pela derrota no Gigantinho.



Redação

E-mail para contato contato2002290519042779@2002290519041950esportesc.com.