Conteúdo
Repórter: Vanessa Fagundes
Publicação: 27/05/2020 17h46
Atualização: 28/05/2020 09h54

O EsporteSC TV da última terça-feira (26), conversou com o presidente da Associação Brusquense de Esporte e Lazer (Abel), Mauricio Thomas e o coordenador do projeto, Luiz Antônio Moretto. Os dirigentes estão à frente do voleibol brusquense com as atividades desenvolvidas pela Abel há oito anos. Em entrevista revelaram suas conquistas, dificuldades e o planejamento para o futuro da modalidade no município.

Natural de Brasília, Mauricio Thomas foi treinador em Brusque à frente do time da Brasil Telecom na temporada 2008/2009 da Superliga Feminina. Com o fim das atividades da equipe na cidade, o técnico sentiu a ausência de projetos para envolver categorias de base. Juntos, Thomas e Moretto criaram o projeto da Abel e hoje atendem cerca de 400 crianças.

Assim como Thomas, Moretto também possui uma grande trajetória na modalidade. Através do esporte, já trabalhou em grandes clubes do Brasil, como o Sollys/Osasco. Além disso, participou da revelação de duas campeãs olímpicas, como a ponteira Jaqueline Carvalho e a levantadora Dani Lins.

Com o objetivo de formar novas estrelas do esporte, o presidente releva que o projeto necessita de apoiadores para que consigam continuar a proposta e ir além das categorias de base. Prova disso, foi a participação do clube na Superliga B em 2017. Contudo, a falta de apoio, fez com que o fato não voltasse a acontecer no ano seguinte.

Já de acordo com o coordenador, por conta da participação do grupo na segunda divisão do principal torneio de voleibol feminino do Brasil, o projeto chegou a atender cerca de mil crianças. “Aqui em Brusque temos a oportunidade de privilegiar os brusquenses a terem um espetáculo e levar o nome do município para o mundo. Só precisamos chegar em um consenso com as autoridades públicas para que ajudem a viabilizar esse projeto”, defende.

Em oito anos de programa, a iniciativa atingiu dois pontos muito importantes: o socioeducativo, levando a modalidade até as escolas; e o de rendimento, que trouxe diferentes títulos para a Abel. Com o propósito social, o projeto encaminha o esporte dentro de seus 12 núcleos fazendo com que os adolescentes não saiam de sua comunidade. Desta forma, quem apresentar um melhor desempenho é encaminhado para os treinamentos na Arena Brusque, em que o foco é o trabalho de rendimento.

Apesar das dificuldades, o sonho de retornar à Superliga ainda continua. Thomas, ao cobrar mais apoio do poder público municipal, a exemplo do que já ocorre em outras cidades, destaca que ainda acredita que conseguirá voltar a comandar um time de Brusque. De acordo com ele, o programa demanda de apoiadores que se envolvam no esporte e abracem a causa. “O esporte precisa ser unido, independentemente de ser vôlei, basquete, futebol ou handebol, temos que defender a bandeira do esporte”, diz ele, ao falar, por exemplo, do projeto voltado ao esporte realizado em Taubaté (SP), time com que ele foi campeão da superliga masculina adulta. "Lá, o prefeito abraçou a causa do esporte. Aqui em Brusque, infelizmente, não temos um projeto voltado ao esporte, e quando digo esporte, não falo só de voleibol, mas em relação a todas as modalidades", afirma.

O projeto desenvolvido pela Abel é amparado pela Lei de Incentivo ao Esporte. Para quem deseja participar e doar, a ação pode ser feita através da declaração do imposto de renda, tanto para empresas quanto para pessoa física.  



Vanessa Fagundes

E-mail para contato vfagundes522007051959398076@2007051959397248gmail.com.