Conteúdo
Repórter: Vanessa Fagundes
Publicação: 19/06/2020 16h52
Atualização: 18h35

Os impactos que acompanham o avanço do coronavírus atingiram em cheio o esporte. Com a paralisação das competições, os efeitos da pandemia afetaram especialmente as categorias de base, visto que desenvolvem trabalhos de rendimento da modalidade.

Os trabalhos de base desenvolvido com o futsal por José Carlos Torresani, o Zé Carlos, retornaram aos treinamentos no início deste mês, atendendo aos dispostos da Portaria SES 258/2020. Apesar da volta acontecer apenas com a categoria Sub-13, o treinador revela que o reinício das atividades foi muito comemorado por alunos e comissão técnica, dado que as paralisações somaram 81 dias sem atividades.

Seguindo os protocolos de medidas sanitárias, a volta trouxe uma série de regras ao retorno. Hoje, os treinamentos acontecem apenas duas vezes na semana, o que antes da pandemia, ocorria três vezes. Divididos em dois grupos de cinco atletas, as atividades têm a duração de 45 minutos, com o uso obrigatório de máscaras e a utilização individual da bola. Além do uso de álcool em gel, os jogadores têm seu espaço demarcado e são orientados a não colocarem as mãos na bola.

Realizando atividades física apenas em casa, segundo Zé Carlos, o retorno dos treinamentos em quadra é um processo gradual. “O foco agora é exclusivo em parte física e técnica. Em função do distanciamento não trabalharemos parte técnica”. Já em relação a volta das demais categorias de base, o treinador revela que não há previsão. “Os pais e os meninos estão muito ansiosos, porém não há previsão nenhuma. O clube segue as determinações do Governo do Estado”, finaliza.



Vanessa Fagundes

E-mail para contato vfagundes522010291132115441@2010291132114613gmail.com.