Conteúdo
Repórter: Vanessa Fagundes
Publicação: 20/04/2020 08h17
Atualização: 12h32

Com a suspensão de eventos esportivos no mundo todo, atletas se viram como podem para manter a forma, mesmo com as incertezas do calendário. Em Brusque, não é diferente.

Faltando cerca de 4 meses para o Ironman Brasil 2020, a atleta Graziela Tomasi Bertolini mudou a rotina de treinos. O Ironman, que teve transferido de 31 de maio para 16 de agosto, fez com que muitos atletas reorganizassem o calendário. Graziela, que já estava em sua décima semana de treino, totalmente dedicados ao evento, teve que adiar os planos para a tradicional prova que ocorre em Florianópolis.

Agora, a atleta intercala os exercícios em casa para garantir a boa forma. Por conta de não poder se dedicar totalmente aos treinamentos, como gostaria, Grazi treina entre 2 a 2h30 por dia, alternando entre funcional e bicicleta. “Estou conseguindo conciliar. Tem muita coisa para fazer em casa, não é desculpa para a gente ficar parada”, ressalta.

A corredora considera que o mais difícil é a situação que pessoas de todo o mundo estão passando, por conta do vírus. Ela comenta que os planejamentos dos atletas podem ser reorganizados. “Essa questão do ser atleta a gente ainda acaba colocando em segundo plano”, destaca.

Situação semelhante à de Grazi é a do ciclista André Eduardo Grohr. O atleta participaria ainda no primeiro semestre de três competições importantes, todas elas válidas para o ranking nacional. Gohr, que já fazia uma preparação com grandes expectativas para as competições, teve que seguir as orientações de ficar em casa e aproveitar o tempo disponível da melhor forma possível.

Diferentemente de Graziela, que utiliza o ciclismo indoor para manter o condicionamento físico, o ciclista brusquense, atual campeão brasileiro de contrarrelógio, tem um obstáculo um pouco maior. “Realmente ter que realizar todos os treinos em casa tem sido um desafio, principalmente no ciclismo, onde realizo 95% dos meus treinos outdoor”, observa ele, que diz que está mantendo ao máximo a rotina para realizar os treinos necessários.

Entretanto, a rotina de improvisos é importante neste momento. Assim como a população em geral, os atletas também estão mudando os hábitos e os readaptando. Em virtude disso, o ciclista considera que o momento agora é para pensar na saúde, antes de qualquer condição física ou de desempenho. “Ter paciência, seguir treinando ao máximo, o mais próximo do que já havia planejado e torcer para que essa situação passe o mais rápido possível”, finaliza.



Vanessa Fagundes

E-mail para contato vfagundes522011291734409221@2011291734408393gmail.com.