Conteúdo
Repórter: Redação
Publicação: 07/01/2020 09h41
Atualização: 09h49

Por Mariane Groh


Há uns 5 anos, quando voltei a praticar atividade física buscando emagrecimento, não imaginei que poderia conquistar tudo o que conquistei até hoje, principalmente depois que comecei a praticar a corrida de rua. O peso diminui, foram um total de 38 quilos eliminados, apenas praticando exercícios e com uma alimentação adequada, sem nenhum segredo. Durante esse tempo, várias provas, mas 2019 foi um ano diferente, especial.

Estava decidida que faria minha primeira meia maratona, então em janeiro procurei ajuda profissional pois queria fazer tudo certinho e foi a melhor decisão, a evolução foi absurda, fiz a meia maratona abaixo do tempo programado. Foi então que em março, em uma conversa com meu treinador, disse que tinha vontade de fazer a meia maratona em Florianópolis em agosto e ele me perguntou: “Quer fazer os 21km ou os 42km?".

Não tinha certeza se conseguiria completar uma maratona, até porque tinha feito a primeira meia recentemente, e ele me disse que com treino e dedicação, tinha certeza que conseguiria, então não pensei duas vezes, fiz a inscrição e iniciei os treinos.

O período de treinos pra essa prova não foram fáceis, até porque precisava conciliar com trabalho e faculdade, mas tudo bem, quando a gente quer, dá um jeito e eu não ia desistir daquilo jamais. Não importava se era frio, calor, com sol ou chuva, tinha que ser feito e ponto.

Cerca de três semanas antes da prova, quando estava iniciando o treino senti uma forte dor nos joelhos, não consegui correr nem 1 km, parei, tinha medo de ter lesionado, o que felizmente não aconteceu (o diagnóstico foi condropatia patelar de alto grau), porém tive que fazer repouso, tomar remédios e cancelar os treinos, assim foi até o dia da maratona.

Descrever o que aconteceu no dia 25 de agosto de 2019 não cabe em palavras, poderia passar horas falando, escrevendo e mesmo assim não conseguiria expressar tudo o que senti naquele dia. Muita ansiedade, pois era algo totalmente desconhecido, estava machucada e não fazia ideia se conseguiria completar a prova, mas como desistir é uma palavra que não cabe no meu dicionário, estava lá, com medo, mas com muita vontade de fazer aquela prova. E foi no meio daquelas 10 mil pessoas, às 6h da manhã, que larguei para a corrida mais difícil e mais linda que fiz até agora. Uma corrida em que você deve estar preparado por completo, corpo e mente.

Desde o início, estava conseguindo manter o ritmo que havia planejado, mas quando chegou no km 35, a dor veio muito forte, o corpo não respondia mais, a vontade de desistir era enorme, mas ver todas aquelas pessoas se ajudando, na mesma situação, só me fez ter mais vontade de completar e assim fui seguindo, cada vez mais perto do objetivo. Quando estava no km 40, ouvi alguém do meu lado dizendo que estava ali pra me acompanhar até o fim. Uma pessoa que até então só conhecia por um grupo em comum no whatsapp e que tinha ido lá pra fazer a prova de 10km. Aquele gesto pra mim foi essencial pra chegar até o fim, no momento em que cada metro parecia uma eternidade. No momento em que avistei o pórtico de chegada e a placa que indicava que faltavam apenas 195 metros, passou um filme na minha cabeça, tudo o que tinha superado pra estar ali, todas as dificuldades, dores, renúncias, todas as pessoas que me apoiam, me ajudam e que muitas vezes acreditam mais em mim do que eu mesmo. Cruzar aquela linha de chegada não tem explicação, é uma mistura de sentimentos, alívio, dever cumprido e o melhor de tudo, saber que minha mente pode me levar a lugares em que achava impossível. Com certeza sou uma pessoa totalmente diferente depois dessa prova, levo a vida com mais leveza, alegria, felicidade, acreditando mais em mim, sabendo que dificuldade existem, problemas todos nós temos, mas que reclamar não vai resolver, por isso sigo em frente e sei que ainda posso realizar muitos outros sonhos que antes achava impossível.

Um dos melhores presentes que a corrida me deu não foram medalhas, troféus, mas sim pessoas maravilhosas que foram chegando devagar e hoje fazem parte da minha vida e foram essenciais pra que eu consegui chegar onde cheguei. Sou grata por cada um que de perto ou de longe, cada uma do seu jeito, contribuíram de algum modo para que eu conquistasse isso tudo e que me motivam e me ajudam a buscar novas metas, sonhos e realizações.

Por isso, acredite na sua capacidade de fazer o que deseja, cerque-se de pessoas que acreditem em você e que te levam a seguir sempre em frente, por mais difícil que seja, em algum momento você terá a certeza de que todo esforço sempre vale a pena e que ficar parado não te leva a lugar algum.



Redação

E-mail para contato contato2001241846333922@2001241846333093esportesc.com.