Conteúdo
Repórter: Redação
Publicação: 24/09/2019 18h09

A cidade de Ribeirão Preto (SP) foi responsável por receber a final da Copa Troller 2019 no último sábado (21). Depois de três provas disputadas na temporada, o navegador de Brusque, Rafain Walendowsky, chegou pelo sétimo ano consecutivo na final da competição brigando pelo título. Competindo ao lado do piloto de Blumenau, Flávio Roberto Kath (Poder), e representando a equipe GS Racing, Rafain levantou mais um troféu de vice-campeão em uma competição elencada entre as mais difíceis do país. O navegador de Brusque é tricampeão da Copa Troller e buscava o tetracampeonato em 2019.

Rafain e Poder fizeram durante o ano todo uma disputa acirradíssima com dois colegas de equipe, os atuais campeões do Sertões, o piloto Gustavo Schmidt, o Guga, de São José (SC), e o navegador Tiago Poisl, de Gravataí (RS). A dupla do navegador de Brusque venceu as duas primeiras provas da temporada, mas um deslize fez Rafain e Poder perderem a liderança em Pouso Alegre (MG) e chegarem em Ribeirão Preto nove pontos atrás dos líderes da competição.

Com os resultados da temporada, a equipe GS Racing já havia garantido o título da competição com uma prova de antecedência, mas faltava decidir entre suas duas melhores duplas quem levaria o primeiro lugar da Master. Apesar da diferença de pontuação ser mínima, o suspense encerrou ainda na primeira etapa. Com um furo no radiador do Troller, Poder e Rafain deram adeus ao tetracampeonato logo no início da prova.

Sete anos brigando na ponta

Apesar de perder o título que ficou muito próximo, o navegador de Brusque comemorou o resultado, destacou a prova realizada em Ribeirão Preto e o fato de estar entre os primeiros colocados por sete anos consecutivos. “Infelizmente tivemos problema com o radiador e completamos apenas uma etapa das três que tinham. Então não conseguimos completar a prova, mas a parte que passou em Ribeirão Preto tinha terras muito boas. A gente andou em canavial, onde levanta bastante pó e dificulta porque fecha muito o campo de visão, mas eu particularmente acho que é uma dificuldade que faz parte da prova. Foi uma primeira etapa muito boa, mas depois da quebra deixamos o campeonato para o Guga/Tiago. Não tínhamos mais chance sem andar as outras etapas”, detalha Rafain.

Mesmo perdendo o título, para o navegador vice-campeão da Master o ano foi muito bom para a dupla e para a GS Racing. “Desde o começo do campeonato nós estávamos bem confortáveis na ponta, apenas com uma briga interna da equipe. Então, após a quebra, já sabíamos que íamos ficar em segundo lugar, o que é um resultado muito bom. Às vezes quando não ganhamos parece que não é bem aquilo que a gente queria quando começou o campeonato. No entanto, lembramos que estamos há sete anos sempre brigando pela primeira ou segunda colocação e conseguindo nos manter entre os primeiros. Isso realmente é um diferencial nosso”, acredita.

A última etapa da Copa Troller contou com um grid de 140 carros, sendo 20 somente na categoria Master. Os pilotos e navegadores enfrentaram um total de 80 a 110 quilômetros, de acordo com a categoria, com duração em torno de cinco horas. Além de Ribeirão Preto, as trilhas incluíram trechos nas cidades de Serrana e Altinópolis. “É o campeonato mais difícil, com provas pegadas e muita gente boa competindo. Ribeirão Preto foi uma prova com terreno bem seco e areia solta. Fizemos uma prova inteira no meio de canavial, bem rápida e com muitas mudanças de direção. Não dava para respirar direito porque eu ficava o tempo todo fazendo curvas e com as médias bem altas”, detalha Gustavo, piloto campeão da Master pela GS Racing.

Após a final da Copa Troller em Ribeirão Preto, a temporada de competições da marca se encerra no dia 9 de novembro com o Troller Brasil Festival que acontece em Campinas (SP). A GS Racing volta a competir neste sábado, dia 28 de setembro, em Nova Veneza (SC), onde acontece a próxima etapa do Campeonato Catarinense de Rally Regularidade 4x4.



Redação

E-mail para contato contato2002250819492942@2002250819492113esportesc.com.