Conteúdo
Repórter:
Publicação: 26/03/2016 18h12
Atualização: 27/03/2016 21h24

Inacreditável. Esta palavra é a melhor que existe para definir o que aconteceu neste sábado (26), na Arena Condá. Após a primeira etapa, de maneira espetacular, o Bruscão goleava a líder disparada e invicta Chapecoense por 3 a 0. O melhor time do campeonato voltou com sangue nos olhos do intervalo e, com falhas da equipe brusquense, acabou arrancando a força um empate com gosto de derrota para o quadricolor.

VEJA A GALERIA DE IMAGENS DA PARTIDA

Com o resultado, o Brusque chegou aos 19 pontos e se mantém à frente de Inter de Lages, com 16, e Metropolitano, com 15, na luta pela vaga à Série D. O time de Blumenau, no entanto, ainda entra joga neste domingo, quando recebe o Guarani de Palhoça. Em Chapecó, o Brusque entrou em campo sem nenhum atacante de ofício e com os desfalques de: Cleyton, Cambará e Mineiro. A equipe teve a volta de Carlos Alberto e Assis. No domingo da semana que vem (2), o quadricolor recebe o Avaí, no Augusto Bauer, às 18h30.

CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO 

O jogo
Logo aos 4 minutos, Carlos Alberto saiu na cara do gol, mas estava impedido. Mal sabiam os torcedores que essa seria só a primeira de muitas chances do Bruscão contra a Chapecoense na primeira etapa. Apesar disso, o clube verde começou melhor a partida e, aos 10 minutos, Willian Tiego arrancou do meio-campo e só foi parar na trave, com belo chute cruzado. No rebote, Cleber Santana ainda bateu com perigo, pra fora.

Com 19 minutos, uma falta no canto da área, famoso mini-escanteio para a cobrança de Cleber Santana na cabeça de Willian Tiego, que cabeceou pra fora. Até então, o time do Oeste era melhor, mas foi aí que o quadricolor começou a crescer. Na sequência, Eliomar bateu de longe e obrigou Danilo a fazer uma grande defesa, no cantinho.

O Bruscão teve uma série de escanteios e, em um deles, Alemão subiu livre e meteu uma tijolada para o gol de cabeça. Mais uma grandiosa defesa de Danilo, aos 25 minutos. Com 29, Willian Tiego errou na saída de bola e Carlos Alberto aproveitou para invadir a área pela direita e chutar para mais uma grande defesa de Danilo, mas, no rebote, o próprio Carlos Alberto conferiu para as redes. Brusque 1 a 0.

A Chape ameaçou reagir timidamente, em cobrança de falta de Willian Tiego, que bateu rasteiro com muita força. João Paulo agarrou firme. Porém, foi só. O primeiro tempo era do Bruscão. Aos 34 minutos, Paulinho meteu linda bola para Assis na cara do gol, que parou em Danilo. Mais uma vez, o rebote foi do quadricolor e foi mortal. Eliomar pegou a sobra e bateu cruzado: 2 a 0.

A equipe brusquense estava insaciável. Aos 41, um cruzamento encontrou Assis, na entrada da área.  O atleta girou bonito e bateu no cantinho pra fazer 3 a 0. Antes do fim da primeira etapa, Bruno Rangel ainda recebeu cruzamento na pequena área, muito livre para diminuir, mas cabeceou absurdamente mal. Os times foram para o vestiário com um inacreditável 3 a 0 no placar para o Bruscão. O “crime” estava próximo de acontecer. Mas ficaria no quase.

Etapa final

O líder do campeonato não voltou abatido para o segundo tempo, muito pelo contrário. Desde o primeiro minuto, o clube verde já mordia o calcanhar do Bruscão. João Paulo salvou em chute do Maranhão. No lance seguinte, Ananias invadiu a área e foi derrubado por Adãozinho, pênalti bem marcado. Bruno Rangel cobrou forte no canto direito, sem chances para o arqueiro brusquense: 3 a 1.

Com 11 minutos, Bruno Rangel quase marcou mais um. Cruzamento na área e o atacante subiu livre.  A cabeçada passou muito próxima. No lance seguinte, Everton Cezar tomou cartão amarelo e foi suspenso para a partida contra o Avaí. Na sequência, cruzamento de Ananias e Maranhão bonito, de voleio, marcou o gol que transformou o jogo em um grande drama. Bruscão 3 a 2.

Aos 18 minutos, finalmente o Brusque deu sinal de vida no segundo tempo, mas a cabeçada de Alemão foi para fora. Pouco depois, Carlos Alberto salvou em cima da linha o empate em cabeçada de Bruno Rangel. Com 23, Maurício tomou cartão amarelo. Então, Mauro Ovelha, com medo do pior, tratou de fazer logo duas mudanças de uma vez só. Paulinho e Adãozinho deram lugar a Giancarlo e Aelson. João Paulo também tomou cartão amarelo.

A essa altura, a Chapecoense era toda ataque, mas estava há alguns minutos sem criar grandes chances. Aos 36, a alteração que mudou a história do jogo. Guto Ferreira colocou Silvinho no lugar de Ananias. Dois minutos depois, cobrança de falta na área do Bruscão, ninguém subiu e Silvinho livre cabeceou para transformar o sonho brusquense em um amargo empate com sabor de derrota. Inacreditável, 3 a 3.

No lance seguinte, quase que é consumada uma virada histórica. Cruzamento na área e Kempes cabeceou no primeiro pau, João Paulo salvou. Foi a última grande oportunidade de gol na partida. O árbitro deu o apito final e o Bruscão parou a sequência de vitórias da Chape, mas saiu como se fosse derrotado, 3 a 3.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE (3)

Danilo, Gimenez, Marcelo, Willian Tiego, Dener, Gil, Cleber Santana, Lucas Gomes (Hyoran), Ananias (Silvinho), Bruno Rangel (Kempes) e Maranhão. Técnico: Guto Ferreira

BRUSQUE (3)

João Paulo, Alemão, Neguetti, Maurício, Everton Cezar, Adãozinho (Aelson), Ruan Carlos Alberto, Eliomar, Assis (Afonso), Paulinho (Giancarlo). Técnico: Mauro Ovelha

Gols: Carlos Alberto (B), com 29 minutos do 1º tempo. Eliomar (B), aos 34 da 1ª etapa. Assis (B), 42 do 1º tempo. Bruno Rangel (C), aos 4 minutos da etapa final. Maranhão (C), 16 do 2º tempo. Silvinho (C), 37 minutos da etapa final.

Cartões Amarelos: Gimenez (C), Gil (C), Everton Cezar (B), Maurício (B), João Paulo (B), Silvinho (C), Marcelo (C)

Arbitragem: Bráulio da Silva Machado auxiliado por Kléber Lúcio Gil e Neuza Inês Back