Conteúdo
Colunista: Sidney Silva
Publicação: 03/02/2020 11h29

Em mais uma noite em que a dupla Edu/Thiago Alagoano esteve afiada, o Brusque foi a Chapecó e não tomou conhecimento da Chapecoense, encerrando um tabu que já durava 10 anos sem vitórias contra o alviverde no Oeste.

Num primeiro tempo em que foi dono do jogo, a equipe ficou mais compacta com a entrada do volante Ruan no lugar do lateral Edilson, que vinha jogado improvisado no ataque. A opção de Jersinho deu certo. Com a Chape precisando da vitória e tentando pressionar os visitantes, o Brusque fortaleceu a marcação, Edu recuou e a opção pelas pontas se mostrou acertada com as principais jogadas sendo criadas pelo lado de campo. Foi assim que o próprio Edu recebeu a bola no meio para meter um passe milimétrico, entre dois zagueiros, para Thiago Alagoano. O camisa 10 só dominou e com um toquinho rápido deslocou João Ricardo: 1 a 0 Bruscão.

O gol surgiu pouco depois de Anselmo Ramon, de forma infantil, deixar o braço sobre Éverton Alemão e ir para o chuveiro mais cedo. Se o Brusque já era melhor, a expectativa era de que, com mais espaço e com um a mais, a superioridade ficasse ainda mais evidente.

Sofrimento desnecessário
O que se viu, no entanto, foi um Brusque mais acuado no início do segundo tempo, afoito, errando muitas passes e aceitando a pressão da Chape, que se lançou ao ataque. Foram pelo menos três grandes chances dos donos da casa nos 10 minutos iniciais. Com velocidade, a Chape confundia a marcação do Bruscão, que muitas vezes era obrigado a parar a jogada com faltas. Aos 12, Éverton Alemão recebeu o segundo amarelo e foi expulso numa delas. O mesmo quase ocorreu com Ianson, que teve a barra aliviada pelo árbitro Diego da Costa Cidral.

Aos 15, Vino Locatelli, melhor jogador da Chape, chegou a carimbar a trave de cabeça. A pressão era grande... mas, aos poucos, foi ruindo.

Passados os 20 minutos, a Chape mostrou cansaço, o Brusque botou a cabeça no lugar e as coisas voltaram a ficar equilibradas. O Bruscão ainda correu alguns sustos, porém, agora, também levava perigo no contragolpe, mas o placar não foi mais alterado, para festa do Bruscão, que momentaneamente assume a liderança do Estadual.

No sábado (8), o adversário será o Tubarão, desta vez em casa, onde o time tem tudo para selar de vez a classificação à próxima fase. A sequência mais difícil já foi. Agora, que venha o Peixe...



Sidney Silva

E-mail para contato redacao2006052207415626@2006052207414797esportesc.com.