Conteúdo
Colunista: Gustavo Assi
Publicação: 10/07/2020 17h25

Coluna Psicologia do Esporte: Por Gustavo Assi

A infância e a adolescência são períodos de descobertas, aventuras e desventuras, no qual cada momento na escola, com os amigos, com familiares ou mesmo no esporte, esses jovens aprendem a se relacionar com o mundo a sua volta e consigo mesmos, criando assim um repertório comportamental que irá acompanhá-los em sua vida. Comportamentos de cooperação, generosidade, parcimônia, humildade, autoconfiança e entre diversos outros, podem ser benéficos para a vida adulta.

O esporte, principalmente durante a infância e a adolescência, pode proporcionar momentos nos quais estes comportamentos sejam desenvolvidos. Inclusive, grandes times de futebol e profissionais de outros esportes prezam para que primeiro sejam criados contextos onde sejam possíveis o desenvolvimento de habilidades socioemocionais. Porém, algumas situações podem prejudicar, como, por exemplo, a cobrança excessiva dos pais com o rendimento do seu filho ou filha.

De fato, essa cobrança excessiva pode ser perigosa na medida em que coloca em risco a saúde física e mental a favor de medalhas. Com isso, o gosto pelo esporte pode diminuir, sua autoconfiança pode ficar abalada, e um ambiente assim não permite que lidem de forma saudável com suas emoções. Por isso, pais, escutem o que seus filhos e filhas tem a dizer sobre o esporte que praticam, não coloquem seus sonhos e desejos frustrados em seus pequenos ombros. A formação de um ser humano vem antes da formação de um bom atleta.



Gustavo Assi - Coluna Coluna: Psicologia do Esporte

Gustavo Assi é psicólogo formado pela Unifebe e pós-graduado em Neuropsicologia pela Uniara. Atua como psicólogo clínico e, dentre todas as demandas, atende, também, atletas por meio de consultoria em psicologia do esporte e do exercício. E-mail para contato psigustavoassi2008071750102515@2008071750101687hotmail.com.