Conteúdo
Repórter:
Publicação: 01/03/2017 17h16
Atualização: 02/03/2017 10h07

A cidade que nascemos sempre tem parte do nosso coração, mas onde vivemos acaba ganhando a outra metade, isso pode ser reflexo também no futebol, podemos ficar abalados entre dois times. Muitos torcedores costumam ter dois times do coração, o grande problema disso é quando essas equipes se enfrentam.

Muitos estão com esse dilema agora, já que o Brusque enfrenta o Corinthians, segunda maior torcida do Brasil. A jornalista Suelen Pereira sofre desse mal: “a síndrome futebolística do coração dividido. 

Ela relata que o problema começou muito cedo, já que nasceu em Santos e acha que não poderia torcer para outro time que não fosse o Peixe. “Quando eu era pequena, achava que eu tinha que torcer para o Santos, porque eu nasci lá, aí me sentia mal, porque eu queria ser corintiana.  Mas meus pais me explicaram que eu podia escolher o time que eu quisesse, e eu disse que eu queria torcer pro Corinthians. Isso eu era bem pequenininha, meus pais que me contam. E foi assim desde então,” disse.

Moradora de Brusque há 5 anos, com essa grande partida seu coração voltou a se dividir. “ Tenho certeza que será uma partida de muitas emoções. Por ser a primeira vez assistindo o Timão. Por ser contra o Brusque. Por ser em Brusque. Realmente o coração vai bater mais forte!”

Não é só a jornalista que está dividia, a jovem Naiara Tomás (13), deixou de assistir aula para comprar ingresso para o jogo, acordou às 6 horas da manhã e era a segunda da fila, mas ainda não estava decidida para qual time torcer. “Eu vim torcer para o Corinthians, mas eu fico dividida, se o Corinthians fizer gol eu grito pro Corinthians, se o Brusque fizer gol eu também grito. Não importa quem ganhar eu vou ficar feliz,” conta alegre com os ingressos na mão.

Vindo de Botuverá, Dário Fachinni teve a rara felicidade de adquirir um ingresso para a torcida corintiana. Apenas 400 tickets foram disponibilizados para a torcida alvinegra. O apaixonado adepto do Timão conta como conseguiu. “Um cliente meu é fornecedor de material do Corinthians e acabou nos dando os ingressos”. Dário acredita em um jogo equilibrado. “Acho que o Corinthians vence por 2 a 1, espero um bom jogo”.

Já, para Nicole da Silva, não tem essa história de torcer para o time de fora. Ela está no Augusto Bauer esperando ver uma grande vitória do seu clube de coração, o quadricolor. “A gente sabe que é contra um time bem mais conhecido e favorito, mas não perdemos a esperança. Acho que vai ser 2 a 0, ou pelo menos 1 a 0 para o Bruscão, se Deus quiser”.

De Blumenau veio outro torcedor corintiano, Silvio de Andrade , que pagou R$ 200 no ingresso, está preocupado. “Comprei de uma pessoa, mas não sabia que tinha diferença entre as torcidas. Essa pulseira verde é para a torcida do Brusque. Estou com a camisa do Corinthians. Como vou lá no meio dos torcedores brusquenses? Acho que isso deveria ser melhor divulgado por rádios e jornais, pela imprensa em geral”.

Apesar da preocupação, Andrade está confiante com o seu time. Espero um 3 a 0 para o Corinthians. Mas o que mais espero é uma festa da paz e do esporte, sem violência como vemos acontecendo por aí”.