Conteúdo
Repórter:
Publicação: 30/09/2016 10h48

 Um processo judicial causou a troca de nome da, agora,  A Associação de Ecoturismo, Preservação e Aventura do Vale do Itajaí (Assepavi). A instituição chamava-se Puma, mas a famosa marca de materiais esportivos alemã não aceitou muito bem o fato.

Por meio de um escritório de advocacia de São Paulo, a Puma alemã entrou com processo contra a Assepavi, então Puma. Membra do conselho fiscal da Associação, Fernanda Rezini, explica o motivo da troca de nome. “Nós entramos em contato com advogados e nos foi informado que até haveria a possibilidade de mantermos o nome Puma pelo fato de não sermos instituições do mesmo seguimento. Porém, existia o risco de perdermos o processo. Então, para não ficarmos em uma briga judicial e daqui a um tempo ainda sermos obrigados a pagar uma indenização resolvemos trocar de nome”.

A Assepavi foi fundada em 2015 e atende em Brusque, Guabiruba, Nova Trento e Botuverá. “Na verdade acabamos nos enrolando para registrar a Associação. Este também foi um dos motivos para trocarmos o nome, pois nem estávamos registrados como Puma ainda. Agora sim já está tudo certo com o registro no nome de Assepavi. Além disso, as chances de perdermos o processo era maior do que a de ganharmos”, explica Fernanda,

O Parque Nacional da Serra do Itajaí é o lar de quatro pumas. “Em decorrência destes quatro animais que ainda temos no parque escolhemos o antigo nome da Associação. Em momento nenhum quisemos tirar vantagem da marca de material esportivo”, ressalta Fernanda.

O nome foi trocado e as atividades da Assepavi não foram prejudicadas. A Associação continua fazendo trilhas, visitas guiadas e outros tipos de atividades em zonas rurais: canoeing, trekking e muito mais. Para mais informações acesse https://goo.gl/CR9fM1 .