Conteúdo
Repórter:
Publicação: 01/01/2017 10h00

O vôlei brusquense voltará a ser representado numa competição nacional após quase dez anos em 2017. A equipe da Abel/Havan confirmou a participação na Superliga B nesta temporada. A competição inicia no dia 21 de janeiro e vale vaga para a elite do esporte nacional.

O objetivo, segundo o técnico Maurício Thomas, é resgatar o espírito do voleibol na cidade, mesmo que em quadra a equipe ainda não tenha condições de ascender à elite da competição. “Sabemos que a nossa chance de ir pra Superliga A são mínimas. Então a gente vai tentar representar da melhor forma a nossa cidade, se manter na Superliga B para quem sabe futuramente conquistar uma vaga para ir para Superliga A”, explica. “Ir para Superliga A é um sonho que está muito distante para nós hoje pelas condições que nos encontramos, mas o mais importante é tentar plantar uma semente da Superliga para motivar as empresas e as crianças do projeto. E, claro, trazer a prefeitura de volta para perto, para poder nos ajudar”, diz.

Thomas reclama do pouco apoio do poder público e diz acreditar que com uma equipe atuando na cidade seja mais fácil também chamar a atenção da iniciativa privada. “A gente vai tentar resgatar o espírito do voleibol em Brusque. Queremos valorizar Brusque de novo, trazer o voleibol novamente para cidade, pois acreditamos que Brusque merece. O que a gente torce muito é para que o governo que vá entrar mude o pensamento arcaico do governo anterior de não incentivar a formação de novas equipes”, crítica.

Formação da equipe
Segundo Thomas, o elenco ainda está sendo montando. São meninas de 16 e 17 anos, base da seleção brasileira infanto-juvenil, comandada pelo próprio treinador. Elas devem ser mescladas com três ou quatro atletas adultas. “Estamos enfrentando muitas dificuldades, pois sem dinheiro é muito difícil montar um time. Fomos atrás de patrocínio, mas hoje está muito difícil para todo mundo”, lamenta.

Regulamento
A Superliga B é disputada em turno único, com quartas de final, semifinais e final. Na primeira fase, são sete equipes que se enfrentam entre si. A melhor colocada da primeira fase avança direto para as semifinais, enquanto as seis equipes restantes disputam as outras três vagas em melhor de três. As semifinais e finais também são disputas no sistema eliminatório, até que seja conhecido o grande campeão.

Cronograma
A estreia da Abel/Havan Vôlei será fora de casa, no dia 21, um sábado, contra o Clube Curitibano, do Paraná. O primeiro jogo em casa ocorre uma semana depois, na Arena Brusque, diante do Barueri (SP), equipe que será comanda pelo técnico da seleção brasileira feminina, José Roberto Guimarães. No dia 3 de fevereiro, o time sai para pegar o São Bernardo (SP) e volta a jogar em casa no dia 11 diante do Bradesco (SP). Posteriormente, a equipe brusquense faz o clássico catarinense com a ACV/Unochapecó/Orbens, em duelo a ser realizado no dia 22, no Oeste do Estado. O último jogo na fase de grupos ocorreu na Arena Brusque, no dia 4 de março, contra as paranaenses de São José dos Pinhais. O campeonato segue até 8 de abril, quando será conhecido o grande campeão.

Superliga B – Equipes participantes

Abel/Havan (SC)
ACV/Unochapecó/Orleans (SC)
ADC Bradesco (SP)
Clube Curitibano (PR)
GR Barueri (SP)
São Bernardo (SP)
São José dos Pinhais (PR)

21/1 – 18h – Clube Curitibano (PR) x Abel/Havan
28/1 – 20h – Abel/Havan x Barueri (SP)
3/2 – 19h – São Bernardo (SP) x Abel/Havan
11/2 – 20h – Abel/Havan x ADC Bradesco (SP)
22/2 – 20h15 – ACV/Unochapecó/Orbens x Abel/Havan
4/3 – 20h – Abel/Havan x São José dos Pinhais (PR)