Conteúdo
Repórter: Sidney Silva
Publicação: 24/03/2020 11h15

Sem entrar em campo desde o último dia 15, quando foi realizada a última partida da primeira fase do Campeonato Catarinense, os jogadores do Bruscão sequer sabem quando poderão voltar a atuar, diante das incertezas em virtude do novo Corona Vírus.

Confinados em suas casas, assim como toda a população, os atletas treinam isolados, cada quais, conforme as suas condições e possibilidades. Segundo o preparador físico do Brusque, Marcos Monassa Abella, não é possível precisar, ao certo, o quão prejudicial essa paralisação será aos atletas. "Todos serão reavaliados após a volta aos treinos, como se estivessem voltando de uma mini pré-temporada", observa o preparador físico do Bruscão.

Ele diz que, durante esse período, foi preparado aos atletas um microciclo de treinamento para que realizassem as atividades em casa, sugerindo, também, o uso de halteres e pesos para aqueles que tivessem disponibilidade. "A orientação é para que os jogadores realizem dois tipos de treinos, tanto com peso corporal, como também para atletas que têm acesso a esses materiais", explica Abella.

Os cuidados na alimentação também são essenciais. "Foi recomendado um cuidado maior na alimentação, até porque sabemos que atleta acaba tendo um gasto calórico elevado. Como ele vai ficar o tempo todo em casa, é preciso que ele tenha esse cuidado e continue realizando as atividades físicas. É preciso manter sempre o corpo ativo, até porque, quando a gente retornar, esse déficit no condicionamento físico será minimizado", ressalta.

Para Ana Flávia Kühn, especialista em nutrição funcional e esportiva, o que atletas de futebol e de outras modalidades com alto desgaste físico precisam fazer nesse momento é reduzir significativamente a ingestão de carboidratos. "O carboidrato é o alimento que tem a função de energia, até para manter o ritmo de treinos e das partidas, mas a ideia agora é comer bem menos alimentos como pão, batata, arroz, massas, porque eles não estão gastando nada, ou muito pouco, e se eles não reduzirem o carboidrato isso vai acabar se transformando em gordura", alerta.

O ideal, segundo a especialista, é ingerir mais proteína, como ovos de manhã, carne ao meia dia, e algumas fontes de proteínas também à noite. "Não deixar de comer frutas e vegetais, de duas a três vezes ao dia, também é muito importante", recomenda. "A salada no almoço e jantar é outro fator importante, e o legal também é incrementar fibras de semente, como chia, girassol, linhaça e gergelim", finaliza.



Sidney Silva

E-mail para contato redacao2006051322477479@2006051322476651esportesc.com.