Conteúdo
Colunista: Gustavo Assi
Publicação: 23/07/2020 08h59

Coluna Psicologia do Esporte: Por Gustavo Assi

Com o novo decreto, publicado recentemente, foi suspenso o funcionamento das academias por sete dias e proibida a aglomeração, por prazo indeterminado, de pessoas em qualquer ambiente, incluindo pessoas em práticas esportivas em parques, praças, quadra poliesportivas e entre outras. Isso também significa que atletas amadores e profissionais terão mais uma vez de diminuir o fluxo de seus treinamentos, visto que estarão limitados à suas casas.

O treino encoberto surge como alternativa durante esse período. Consiste em utilizar a imaginação para treinar os movimentos e jogadas. Estudos mostram que ao empregar essa técnica há alterações cerebrais, musculares e do sistema nervoso autônomo, muito semelhantes com as ocorridas ao fazer os movimentos em si. No caso de ginastas, por exemplo, esses atletas podem imaginar a execução de movimentos e apresentações. De início pode parecer um pouco difícil e improdutivo realizar isso, porém a prática leva a perfeição. Com o tempo fica mais fácil realizar essa técnica, e o atleta pode começar realizá-la junto ao mesmo tempo que simula o ambiente de competição, com sons da plateia por exemplo.

O primeiro passo é estar relaxado: Para isso, é necessário um ambiente com o mínimo de estímulos distratores. Ainda, comece controlando sua respiração, inspirando o ar, segurando-o e expirando no decorrer de seis segundos;

Descreva o ambiente a ser imaginado: Tente descrever nos mínimos detalhes o ambiente que você está imaginando, como o local que você está, a posição em que se encontra, suas vestimentas, as pessoas ao redor;

Imagine os movimentos: Busque imaginar-se realizando o movimento que você precisa fazer, desde o início até o fim. Caso não consiga de primeira, não tem problema, tente novamente; Descreva como você se sentiu: Agora busque descrever para si mesmo como você se sentiu ao realizar a atividade.

Por fim, sabemos da importância que as academias tem, assim como os espaços para a prática de atividades físicas e esportivas. São ambientes que apresentam diversos estímulos que influenciam os comportamentos de se exercitar ou treinar, porém nesse momento o melhor é se exercitar em casa, dentro do possível. Até a próxima!



Gustavo Assi - Coluna Coluna: Psicologia do Esporte

Gustavo Assi é psicólogo formado pela Unifebe e pós-graduado em Neuropsicologia pela Uniara. Atua como psicólogo clínico e, dentre todas as demandas, atende, também, atletas por meio de consultoria em psicologia do esporte e do exercício. E-mail para contato psigustavoassi2009290312327048@2009290312326219hotmail.com.